Tornar-se residente aprendendo a ser adulto: necessidades na formação médica

Thiago Barros da Silva, Alexandre Brasil Carvalho da Fonseca

Resumo


Objetivo: Este estudo se propõe a analisar motivações, aprendizagens, sentimentos e necessidades dos médicos residentes de Clínica Médica que atuam em um hospital municipal. Métodos: Trata-se de um estudo de fundo qualitativo, que tem como propósito avaliar, apreciar e estimar os propósitos, objetivos e planos dos médicos que optam por essa especialização por meio da análise de seus discursos. Resultados: Apesar da extensa formação médica, os médicos residentes não se sentem seguros em ter a responsabilização de situações relativas às moléstias e enfermidades dos pacientes, tendo de traçar condutas e atitudes sem a segurança devida para a sua realização. Eles se referem a um estado de não finalização, de não preparação, de pouca capacidade de realização de suas atividades e de inefetividade em suas ações de interpretação dos achados, diagnóstico, tratamento e abordagem. Utilizam a residência médica como ferramenta para superação e enfrentamento, traçando alternativas para expansão dos limites. Conclusões: Refletir acerca dessas necessidades e motivações permite desenvolver e conhecer estratégias para melhor entendimento e desenvolvimento das questões a respeito da residência médica e sobre a formação em Medicina no Brasil.


Palavras-chave


internato e residência; educação médica; capacitação profissional; corpo clínico hospitalar; identificação (psicologia)

Texto completo:

PDF

Referências


Vasconcelos MFF, Nicolotti CA, Silva JF, Pereira SMLR. In-between policies (CEH – Continuing Education in Health and NHP - Humanization National Policy): towards a way to educate in/for the Brazilian National Health System (SUS). Interface (Botucatu). 2016;20(59):981-91. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1807-57622015.0707

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 3ª ed. São Paulo: Hucitec; 2004.

Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo: Martins Fontes; 1977.

Tavares FM. As contribuições da medicina psicossomática à formação médica. Rev Bras Educ Méd. 2005;29(1):64-9.

Belarmino LNM, Martins MF, Franco MCA. Aspirações médicas: análise dos alunos do internato das instituições de ensino superior do Estado do Pará. Rev Bras Educ Méd. 2016;40(4):685-93. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1981-52712015v40n4e01682015

Ceccim RB. Educação permanente em saúde: descentralização e disseminação de capacidade pedagógica na saúde. Ciênc Saúde Coletiva. 2005;10(4):975-86. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-81232005000400020

Coimbra IB. Avaliação dos fatores psicossociais, estratégias de “coping” e síndrome de “Burnout” na residência médica [dissertação]. Campinas: Unicamp; 2017.

Maslow AH. Motivation and personality. 2ª ed. Nova York: Harper & Row; 1970.




DOI: https://doi.org/10.23925/1984-4840.2019v21i4a5

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Apoio: ..............................................................................................................................................

    

Fundação São Paulo - Hospital universitário

 



 

Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, Sorocaba, SP, Brasil, e-ISSN 1984-4840

A Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.