A escola é um lugar seguro? Prevalência de bullying em uma amostra de estudantes de ensino médio público de Sorocaba

Inês Maria Crespo Gutierres Pardo, Silvia Sales Souza, Natália Canhoto Barbosa de Lima, Sandra Regina Dantas Nascimento, Valéria Cristina Ramos Santucci, José Eduardo Martinez

Resumo


INTRODUÇÃO E OBJETIVOS O bullying é uma forma de violência entre iguais frequente entre os estudantes adolescentes, provocando graves prejuízos físicos e psicológicos. O objetivo deste estudo é identificar a prevalência e fatores associados ao bullying em adolescentes do ensino médio público. Material e métodos: estudo tipo transversal, com 47 adolescentes de ambos os sexos, idades entre 14 e 17 anos, matriculados em escola pública de ensino médio. Os adolescentes responderam um questionário padronizado para avaliar as características comportamentais das vítimas, agressores e testemunhas de bullying. O tipo de vitimização foi classificado em verbal e físico. Estudo aprovado pelo comitê de Ética, com assinatura do termo de consentimento pelos responsáveis e alunos. Resultados: participaram do estudo 47 adolescentes com idade média de 15,6 ± 0,9 anos. A média de idade das meninas foi de 15,5 ± 0,7 e dos meninos de 15,6 ± 0,9 anos (p > 0,05). Aproximadamente 13% dos entrevistados referiram já terem sido vítimas de bullying verbal, sem diferença entre os sexos. Cerca de 28% do total relataram já terem presenciado alguma forma de agressão verbal na escola. Com relação aos agressores, 19,1% dos entrevistados referiram já terem sido autores de bullying verbal, sendo na totalidade do sexo masculino. A totalidade dos agressores referiu que não houve qualquer tipo de penalidade pelo ato de bullying. Conclusão: aproximadamente dois em cada dez adolescentes relataram agredir de forma verbal seus colegas de classe, enquanto cerca de 28% dos entrevistados referiram que em algum momento já foram testemunhas de bullying na escola.


Palavras-chave


bullying; violência; instituições acadêmicas; estudantes; adolescente

Texto completo:

PDF

Referências


Analitis F, Velderman MK, Ravens-Sieberer U, Detmar S, Erhart M, Herdman M, et al. Being bullied: associated factors in children and adolescents 8 to 18 years old in 11 European countries. Pediatrics. 2009; 23(2):569-77.

Fuentes MCP, Linares JJG. Variables relacionadas con la conducta violenta en la escuela según los estudiantes. Int J Psychol Psychol Ther. 2010; 10(3):427-37.

Lopes Neto AA. Bullying: comportamento agressivo entre estudantes. J Pediatr. 2005; 81(5):164-72.

Sourander A, Ronning J, Brunstein-Klomek A, Gyllenber D, Kumpulainen K, Niemela S, et al. Childhood bullying behavior and later psychiatric hospital and psychopharmacologic treatment. Arch Gen Psychiatr. 2009; 66(9):1005-12.

Carvalho SF, Lima L, Matos MG. Bullying: a provocação/vitimação entre pares no contexto escolar português. Anál Psicol. 2001; 19(4):523-37.

Francisco MV, Libório RMC. Um estudo sobre bullying entre escolares do ensino fundamental. Psicol Reflex Crít. 2009; 22(2):200-7.

Freire IP, Simão AMV, Ferreira AS. O estudo da violência entre pares no 3º ciclo do ensino básico: um questionário aferido para a população escolar portuguesa. Rev Port Educ. 2006; 19(2):157-83.

SPSS for Windows, release 12.0.0 [computer program]. Chicago: SPSS; 2003.

Olweus D. Bullying at school: what we know and what we can do. Oxford: Blackwell; 1993.

Moura DR, Cruz ACN, Quevedo LA. Prevalência e características de escolares vítimas de bullying. J Pediatr. 2011; 87(1):19-23.

Wang J, Iannotti RJ, Nansel TR. School bullying among adolescents in the United States: physical, verbal, relational, and cyber. J Adolesc Health. 2009; 45:368-75.

Beaty LA, Alexeyev EB. The problem of school bullies: what the research tell us. Adolescence. 2008; 43:1-11.

Pizzaro HC, Jimenez MI. Maltrato entre iguales en la escuela costarricense. Rev Educ. 2007; 31(1):135-44.

Garcia CX, Gimenez AP, Adell N. Factors related to bullying in adolescents in Barcelona (Spain). Gac Sanit. 2010; 24:103-8.

Fante CAZ. Fenômeno bullying: como prevenir a violência nas escolas e educar para a paz. Campinas: Verus; 2005.

Pereira BO. Para uma escola sem violência: Estudo e prevenção das práticas agressivas entre crianças. Porto: Imprensa Portuguesa; 2002.

Mascarenhas S. Gestão do bullying e da indisciplina e qualidade do bem-estar psicossocial de docentes e discentes do Brasil. Psicol Saúde Doenç. 2006; 7(1):95-107.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais



Apoio: ..............................................................................................................................................

    

Fundação São Paulo - Hospital universitário

 



 

Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, Sorocaba, SP, Brasil, e-ISSN 1984-4840

A Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.