A dinâmica discursiva na formação de professores: discurso autoritário ou internamente persuasivo?

Maria Cecília Camargo Magalhães, Maria Otilia Guimarães Ninin, Ângela Brambilla Cavenaghi Themudo Lessa

Resumo


Este artigo, apoiado na perspectiva teórica sócio-histórico-cultural, discute a atividade na qual sujeitos se envolvem como constitutiva dos papeis sociais que exercem. Objetiva desencadear discussão acerca da dinâmica discursiva em contextos de formação crítico-colaborativa de professores, focalizando os discursos de autoridade e internamente persuasivo (BAKHTIN, 2010) e sua coocorrência nas situações de negociação de significados. Tal distinção constitui-se relevante por permitir compreender diferentes enunciados argumentativos ou não, proferidos por educadores em formação, que se proximam ou se distanciam daqueles proferidos por seus formadores ou por vozes teóricas isoladas da prática, indicando possibilidades de criação ou diminuição da expansão dialógica. A partir da ênfase no discurso internamente persuasivo, procura-se destacar o papel crítico-colaborativo da argumentação na formação de educadores. Exemplos selecionados de um corpus de pesquisa coletado em escola pública de São Paulo subsidiará a discussão, por sua vez, apoiada em Bakhtin (2010) e Vygotsky (1998; 2001).


Palavras-chave


Discurso internamente persuasivo; Formação de professores; Enunciação; Expansão e contração dialógicas; Negociação de significados

Texto completo:

PDF PDF (English)

Apontamentos

  • Não há apontamentos.