A MOTIVAÇÃO EMPREENDEDORA E AS TEORIAS CLÁSSICAS DA MOTIVAÇÃO

Raul Ribas

Resumo


Muito embora, na última metade do século XX se observou um expressivo desenvolvimento das Teorias da Motivação e sua consistente aplicação no ambiente empresarial, pouco se evoluiu em estudar sua aplicação para explicar a motivação para a ação de empreender. O objetivo deste artigo é complementar esta lacuna e estabelecer uma relação entre ambas às situações, de modo que se possa validar a aplicação destas teorias, ainda que preliminarmente, para este tipo de iniciativa. A metodologia utilizada na sua elaboração foi, inicialmente, alcançar-se uma rápida compreensão dos principais conceitos das Teorias Clássicas da Motivação pertinentes a esta análise. Na sequência, foram apuradas as impressões de autores especialistas no tema empreendedorismo, sobre o que motiva o indivíduo a realizar uma ação de empreender, utilizando como enfoque a percepção de recompensa, do risco e do sucesso, ao longo de sua trajetória como empreendedor. Finalmente, realizou-se uma comparação entre ambas as abordagens, o que permitiu concluir-se por existir uma relação consistente diante da aplicação das Teorias Clássicas da Motivação, também para explicar a motivação de “Ser Empreendedor”, desde que realizas as adequações pertinentes.

Palavras-chave


Palavras-chave: Motivação; Teorias Clássicas da Motivação; Motivação Empreendedora.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Pontifícia Universidade Católica de São Paulo / PUC-SP. Rua Monte Alegre, 984. Cep: 05014-901. São Paulo - SP - Brasil. Faculdade de Economia e Administração (FEA), Departamento de Administração. Fone (11) 3670-8147. ISSN 1414-7394.