Uso de gestos e de pistas-sinais na terapia de linguagem de um paciente com paralisia cerebral

Ivani Corbó Massari, Mauro Spinelli, Suelly Cecília Olivan Limongi

Resumo


Este trabalho refere-se a um procedimento terapêutico realizado com um paciente portador de paralisia cerebral do tipo espástico, do sexo masculino, com 10 anos de idade e que apresentava alterações nos sistemas fonético-fonológico e sintático, conduzindo a uma fala ininteligível.
Tendo como base a dificuldade que o paciente apresentava em evocar, manter e realizar padrões articulatórios de determinados fonemas, foi planejada intervenção terapêutica baseada no treino realizado com deficientes auditivos, através da exposição oral e gestual concomitante. Portanto, a idéia do método originou-se de estudos feitos sobre a Comunicação Total.
A análise dos resultados mostrou que o uso dos sinais e gestos foi realmente efetivo para auxiliar, basicamente, na evocação dos elementos omitidos, tornando a comunicação do paciente mais inteligível. Esses dados foram confirmados pelas duas reavaliações realizadas, a primeira após seis meses e a segunda após um ano e seis meses da interrupção do trabalho.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




A revista Distúrbios da Comunicação e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em https://revistas.pucsp.br/dic. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em https://revistas.pucsp.br/dic.