A nomeação de figuras e o acesso lexical na demência de Alzheimer: um estudo de caso

Christian César Cândido de Oliveira, Luciene Stivanin

Resumo


Objetivo: o objetivo deste trabalho foi avaliar a memória semântica em uma paciente com demência de Alzheimer, através da nomeação de figuras e acesso lexical por meio de descritores semânticos. Método: estudou-se um caso único de 72 anos do sexo feminino com demência de Alzheimer, através de um teste de nomeação com figuras (Scheuer et al., 2004) e outro, de acesso lexical a partir de descritores semânticos (Grober et al., 1988). As respostas das provas de nomeação e de acesso lexical foram analisadas de acordo com os critérios de Kohn e Goodglass (1985). Resultados: de acordo com os dados levantados, observou-se déficit de memória semântica com baixo rendimento em ambas as provas, com predominância de erros semânticos, perceptuais e não designações. Conclusão: foi encontrado déficit na nomeação de figuras e no acesso lexical, dado consoante com a literatura. A análise qualitativa dos erros permitiu observar as estratégias comunicativas utilizadas para compensar as alterações de linguagem e memória, além de permitir orientar a família.

Palavras-chave


demência de Alzheimer; memória semântica; nomeação de figuras

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




A revista Distúrbios da Comunicação e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em https://revistas.pucsp.br/dic. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em https://revistas.pucsp.br/dic.