Assessoria Fonoaudiológica Na Escola: sob o efeito da escrita e sua aquisição

Carolina A. P. Barcellos, Regina M. Freire

Resumo


Ao analisar criticamente o procedimento de triagem fonoaudiológica realizado nas escolas, o artigo recorta o erro na escrita e problematiza seu estatuto, alçando a vertente teórica do Interacionismo Brasileiro em Aquisição de Linguagem, que o toma como marca da posição do sujeito no discurso. A análise das posições discursivas do professor e do fonoaudiólogo diante da escrita de um aluno em processo de alfabetização permite um contraponto entre os sentidos que o professor, de sua posição de alfabetizador, e o fonoaudiólogo, de sua posição de assessor escolar, atribuem ao erro que se presentifica na escrita do aluno. A análise do que se manifesta sob a forma de erro permite sua releitura como indício do processo de aquisição da escrita, que pede apenas interpretação e não formas de superação. A experiência advinda dessa atividade dialógica entre professor e fonoaudiólogo permite o delineamento de alguns princípios teóricos que apontam a urgência do redirecionamento da atuação do fonoaudiólogo na escola.

Palavras-chave


assessoria; escrita; escola; fonoaudiologia; interacionismo; linguagem

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




A revista Distúrbios da Comunicação e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em https://revistas.pucsp.br/dic. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em https://revistas.pucsp.br/dic.