Acolhimento e inclusão: da clínica ao acompanhamento escolar de um sujeito com Síndrome de Down

Marisa T. Serapompa, Suzana M. Maia

Resumo


Neste artigo, visa-se discutir a transformação no manejo clínico e escolar ocorrido no trabalho multidisciplinar realizado com uma criança com Síndrome de Down. Trata-se de um estudo de caso de um paciente acompanhado desde os 11 meses de idade em clínica fonoaudiológica particular. As referências teóricas utilizadas foram a teoria da constituição da pessoa de D. Winnicott e as concepções de linguagem de M. Bakhtin, que, juntas, permitiram que os pesquisadores assumissem uma posição na coleta e análise dos dados, que provieram fundamentalmente dos registros de reuniões de equipe realizadas durante os anos de 2003 e 2004. O paciente em questão desenvolveu efetivamente a comunicação por meio da escrita, quando se integrou ao grupo de crianças de sua série escolar. A escrita adquiriu uma função em seu cotidiano, o que permitiu ao paciente sentir-se respeitado em suas particularidades e participar da construção de seu conhecimento. O diálogo estabelecido entre os profissionais, a família e a criança favoreceu a criação de situações de comunicação em um ambiente acolhedor da diversidade, fundamental em um processo de inclusão.

Palavras-chave


diversidade; inclusão; Síndrome de Down; escrita

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




A revista Distúrbios da Comunicação e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em https://revistas.pucsp.br/dic. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em https://revistas.pucsp.br/dic.