Expressividade oral de professoras: análise de recursos vocais

Leslie Piccolotto Ferreira, Andrea F Arruda, Daniela M S Serrano Marquezin

Resumo


Para o professor, a voz é relevante no desempenho profissional. A expressividade é essencial para atuação em sala de aula. Objetivo: Avaliar qualidade da voz, variação de loudness e pitch, alongamento da sílaba, velocidade de fala, pausa e articulação, presentes na fala de quatro professoras do ensino médio. Métodos: As professoras foram selecionadas pela disponibilidade e interesse em participar da pesquisa e identificadas como P1, P2, P3 e P4. As aulas gravadas numa mesma sala de aula, para que as professoras estivessem expostas à mesma quantidade de alunos e ruído ambiente. Os trechos de fala foram analisados por futuros professores, alunos de Pedagogia. Avaliaram a expressividade oral das professoras, classificando-a como motivadora, agradável, prende atenção e transmite firmeza ou hesitação, assinalando uma ordem de preferência quanto à maneira de falar das professoras. Quatro juízes fonoaudiólogos realizaram a análise perceptivo-auditiva. Resultados: Os alunos elegeram P3 como preferida, pela fala clara, objetiva e boa dicção, expressividade oral motivadora, agradável, prendeu a atenção. P2 apresentou fala repetitiva, utilizando-se muito da expressão “tá”, expressividade oral agradável e firme; P1, porque falou rápido e sem pausas, teve expressividade oral considerada desagradável, mas transmitiu firmeza; e P4, porque gritou e falou com voz aguda e estridente, teve expressividade oral desagradável e hesitante. Conclusões: O modo de falar das professoras influenciou de maneira positiva e negativa. A velocidade de fala, o emprego da pausa, a qualidade da voz e a intensidade vocal foram aspectos valorizados pelos alunos, e determinantes na escolha da ordem de preferência das professoras.


Palavras-chave


voz, docentes, comunicação, fala.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




A revista Distúrbios da Comunicação e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em https://revistas.pucsp.br/dic. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em https://revistas.pucsp.br/dic.