A autopercepção do handicap auditivo em trabalhadores de uma indústria têxtil

Adriana Soares Alves, Ana Claudia Fiorini

Resumo


Introdução: A exposição continuada a elevados níveis de pressão sonora pode ocasionar uma perda auditiva induzida por ruído (PAIR) e, consequentemente, provocar efeitos na qualidade de vida do indivíduo. Objetivo: avaliar a autopercepção do handicap auditivo em trabalhadores de uma indústria têxtil com e sem a presença de perda auditiva induzida por ruído. Método: A amostra do estudo epidemiológico do tipo transversal foi composta por 83 funcionários, sendo 54 do grupo sem PAIR e 29 do grupo PAIR. A faixa etária variou de 23 a 62 anos. Todos os trabalhadores estavam expostos a ruído ocupacional acima de 85 dB(A) há, no mínimo, dois anos. Os procedimentos incluíram audiometria tonal, questões referentes a dados de anamnese e o questionário de autopercepção de handicap auditivo denominado Hearing Handicap Inventory for Adults (HHIA). Resultados: No Grupo sem PAIR, 27,8% apresentaram entalhe audiométrico em pelo menos uma orelha. A frequência mais acometido foi 6 kHz. No Grupo PAIR, as perdas auditivas foram entre 3 kHz a 8 kHz na orelha direita e entre 2 kHz e 8 kHz na orelha esquerda. Foi identificado handicap de grau leve/moderado em 24,1% do Grupo PAIR. Os trabalhadores do Grupo sem PAIR não apresentaram handicap auditivo. Houve associação estatisticamente significante entre auto-referir perda auditiva e pertencer ao Grupo PAIR. O Grupo PAIR, comparado ao Grupo sem PAIR, reconheceu mais os efeitos de irritabilidade (p=0,032), hipertensão (p=0,001) e zumbido (p= 0,043). Conclusão: Apesar do baixo índice de handicap no HHIA, a alta ocorrência de queixas auditivas indica a importância de estudos sobre os efeitos do ruído, independente da presença de perda auditiva.


Palavras-chave


perda auditiva provocada pelo ruído, ruído ocupacional, transtornos da audição, efeitos adversos, saúde do trabalhador.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




A revista Distúrbios da Comunicação e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em https://revistas.pucsp.br/dic. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em https://revistas.pucsp.br/dic.