Processo de triagem auditiva neonatal e o impacto dos resultados

Thaysa Vidal Freitas, Doris Ruthy Lewis, Gabriela Bueno de Nóbrega

Resumo


Introdução: O grande desafio na realização da triagem auditiva neonatal (TAN) é a utilização de técnicas que identifiquem crianças deficientes auditivas, com números baixos de falsos-positivos e falsos-negativos. O número de falsos-positivos e a falha na TAN podem gerar stress/impacto negativo aos pais. Método: A pesquisa foi realizada em uma maternidade pública de São Paulo, entre maio e outubro de 2008. Na primeira etapa foram entrevistados 64 responsáveis, cujos neonatos passaram, ou não, na TAN. Na segunda etapa foram entrevistadas oito mães que compareceram ao retorno. Resultados e Discussão: Dos entrevistados, 18,7% tinham entendimento prévio da TAN. O desconhecimento pode gerar mais stress e impacto negativo em relação à TAN. Outros 54,6% dos responsáveis estavam preocupados na realização do teste. A preocupação não teve relação direta com o resultado do teste. Quanto ao grau de preocupação após a informação do resultado, 31,2% citaram ter um nível de preocupação relacionado à falha da TAN. Na segunda etapa, das oito mães que retornaram para um novo teste, uma mãe estava muito preocupada: aquela cujo filho continuou mantendo a resposta inadequada após o teste. Conclusões: A TAN gera uma preocupação durante e após a sua realização, independentemente de os resultados serem satisfatórios ou não. As mães cujos neonatos não passaram na TAN mostraram uma maior preocupação com os resultados, necessitando assim assistência, apoio e informações antes da alta hospitalar. As informações devem ser realizadas oralmente e por meio de folhetos ilustrados, desde a gestação, para maior compreensão do processo de TAN.

 


Palavras-chave


Triagem Neonatal; Perda Auditiva; Ansiedade; Pais; Mães.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




A revista Distúrbios da Comunicação e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em https://revistas.pucsp.br/dic. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em https://revistas.pucsp.br/dic.