Relação entre percepção de ruído em sala de aula autorreferida por professores universitários e suas consequências sobre a voz

Emilse Aparecida Merlin Servilha, Flavia Andressa Justo

Resumo


Objetivo: Relacionar percepção autorreferida de ruído em sala de aula e alteração vocal em professores. Método: Participaram 79 professores universitários, com média de idade de 49 anos, sendo 59 (74,68%) do sexo feminino e 20 (25,32%) do masculino, que referiram ambiente de trabalho ruidoso em um questionário. Captou-se uma amostra da voz de cada docente que foi analisada utilizando-se a escala GRBASI. Compararam-se os resultados de queixa de ruído, alteração vocal autorreferida e avaliação fonoaudiológica perceptivo-auditiva. Resultados: Todos os professores queixaram-se da presença de ruído, porém apenas 48,10% deles mencionou alteração vocal. O número de sintomas vocais variou e foi significativa a associação entre autorreferência, alteração vocal e quatro sintomas ou mais (p= 0,0018). A avaliação vocal utilizando a escala GRBASI identificou 27,42% das vozes como alteradas, em especial em grau discreto, sem significância estatística quando relacionada à queixa de ruído. Conclusão: A autorreferência ao ruído em sala de aula foi muito prevalente nesta pesquisa, porém, quando relacionada à alteração vocal, não houve associação significativa.

 


Palavras-chave


Voz; Efeitos do Ruído; Distúrbios da Voz; Docentes.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




A revista Distúrbios da Comunicação e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em https://revistas.pucsp.br/dic. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em https://revistas.pucsp.br/dic.