Desempenho lexical em avaliação formal e fala espontânea em crianças com distúrbio específico de linguagem

Fabianna Andrade Barella, Ana Manhani Cáceres-Assenço, Amalia Rodrigues, Debora Maria Befi-Lopes

Resumo


Introdução: O prejuízo lexical costuma ser um dos primeiros sinais observados em crianças com alteração de linguagem, e o desempenho no vocabulário expressivo tem sido apontado como uma medida importante no desenvolvimento da linguagem. Objetivo: Verificar qual a relação entre a porcentagem de designações por vocábulo usual (DVU) em avaliação formal e o uso de substantivos em fala espontânea por crianças com distúrbio específico de linguagem (DEL). Método: Foi realizado o levantamento dos prontuários de 30 sujeitos com idade entre 4 e 5 anos, de ambos os gêneros, diagnosticados com DEL e em terapia fonoaudiológica por pelo menos 1 ano. Para o uso de substantivos em prova formal foi coletada a porcentagem de designações verbais usuais obtidas no vocabulário expressivo, e para tal uso em fala espontânea foram considerados o número total e a diversidade de substantivos produzidos pela criança durante a avaliação da pragmática. Resultados: Houve um aumento contínuo apenas na média DVU em prova formal, mas o mesmo não ocorreu em fala espontânea. Além disso, não houve correlação entre o DVU e o total ou a diversidade de substantivos usados em fala espontânea. Conclusão: A relação entre o desempenho lexical em prova formal e em fala espontânea não é direta, o que significa que a melhora no reconhecimento de itens em tarefas isoladas não necessariamente implica em melhor uso em situação de comunicação real. Portanto, é importante que a avaliação de linguagem seja baseada também na análise criteriosa da fala espontânea de crianças com alteração de linguagem.

 


Palavras-chave


Criança; Linguagem; Vocabulário; Desenvolvimento da Linguagem; Transtornos do Desenvolvimento da Linguagem.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




A revista Distúrbios da Comunicação e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em https://revistas.pucsp.br/dic. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em https://revistas.pucsp.br/dic.