Estudo comparativo sobre a aquisição das obstruintes em dois municípios com diferentes influências linguísticas

Silvana Gonçalves Lopes, Lilian Kopp Cuti, Carolina Lisbôa Mezzomo

Resumo


 

Objetivo: Verificar a aquisição das obstruintes na fala de crianças com desenvolvimento fonológico típico em dois municípios do Rio Grande do Sul que possuem diferentes variedades linguísticas. Métodos: Fizeram parte do estudo 72 crianças, 36 do município de Santa Maria, 36 de Agudo, com idades entre 1:0 e 4:0 (anos:meses). O corpus de Santa Maria ficou composto por 3.178 obstruintes analisadas e o de Agudo por 3.847. Como variável dependente considerou-se a produção correta e incorreta (estratégias de reparo). As variáveis extralinguísticas consideradas foram idade, sexo e tipo de input e as linguísticas foram pé métrico; número de sílabas; contexto silábico precedente e seguinte; posição na palavra; classe gramatical; sonoridade e classe da obstruinte. Utilizou-se para a análise estatística o pacote VARBRUL, com significância de 5%. Resultados: Os resultados foram semelhantes para os dois municípios. Para Santa Maria, as variáveis intervenientes significantes foram: idade, pé métrico, número de sílabas, classe da obstruinte e contexto precedente e seguinte. Para Agudo foram selecionadas as mesmas variáveis, substituindo o número de sílabas pela sonoridade. A variável tipo de input foi selecionada no grupo único, bem como a idade. Conclusão: Ocorreram mais semelhanças do que diferenças nas variáveis intervenientes que influenciam a aquisição das obstruintes. Dessa forma, parece não haver influência dialetal na aquisição do contraste de sonoridade dos segmentos em estudo, que poderia ocorrer em virtude da característica de dessonorização na fala de adultos residentes no município de Agudo.

 

 

 


Palavras-chave


Fala; Desenvolvimento da linguagem; Fonética; Desenvolvimento infantil; Pré-escolar.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




A revista Distúrbios da Comunicação e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em https://revistas.pucsp.br/dic. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em https://revistas.pucsp.br/dic.