Efeitos auditivos do ruído e dificuldades de comunicação em um grupamento de radiopatrulha aérea

Vera Cecilia Gelardi, Ana Claudia Fiorini

Resumo


Introdução: O ruído pode ocasionar problemas auditivos e não auditivos em trabalhadores. Objetivo: estudar os efeitos auditivos e as dificuldades de comunicação em militares de um grupamento de radiopatrulha aérea. Método: estudo observacional, do tipo transversal de inquérito. A amostra foi de 50 policiais militares com média de idade de 39 e tempo de trabalho de 16,7 anos. Os procedimentos incluíram anamnese, questionário, inspeção visual do meato acústico externo e avaliação audiométrica. Resultados: 96% dos policiais acham o ambiente de trabalho muito ruidoso e citam os rádios controle (aéreo e terrestre) e as outras aeronaves como as principais fontes. As principais queixas foram: estresse (46%), dificuldade de comunicação (40%), falta de atenção (32%), incômodo (28%), zumbido (32%), sensação de plenitude auricular (26%) e intolerância a sons intensos (32%). As audiometrias tonais indicaram 35 militares  classificados como Normal (70%), oito como sugestivos de PAIR (16%)  e sete (14%) como Outras Causas. Houve associação estatística entre “O ruído do ambiente dificulta a comunicação com os outros?” e as variáveis: ruído de outras aeronaves, estresse, incômodo, falta de atenção, irritabilidade, zumbido e eficiência no trabalho. A análise de regressão logística indicou que quando o indivíduo relata incômodo, a chance de ele ter dificuldade para se comunicar com os outros é 21 vezes (IC 3,87 - 113,88). Conclusão: os militares consideram o ambiente de trabalho ruidoso e apresentam alta ocorrência de queixas de saúde. A dificuldade para se comunicar foi estatisticamente associada ao ruído no ambiente de trabalho e a diversos efeitos na saúde.


Palavras-chave


Audição; Ruído; Efeitos Adversos

Texto completo:

PDF PDF (English)

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




A revista Distúrbios da Comunicação e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em https://revistas.pucsp.br/dic. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em https://revistas.pucsp.br/dic.