Psiquismo e linguagem na clínica interdisciplinar com crianças pequenas

Tamires Dias dos Santos, Ana Paula Ramos de Souza, Angélica Dotto Londero, Fernanda Prada Machado, Maria Claudia Cunha

Resumo


Objetivos: Analisar a presença de risco psíquico em um grupo de crianças pequenas com queixa de atraso de linguagem, em uma perspectiva interdisciplinar entre psicanálise e teoria enunciativa de linguagem, comparando a análise clínica a partir de distintos instrumentos de avaliação. Método: Pesquisa qualitativa de estudo de cinco casos na faixa etária de dois anos a quatro anos e quatro meses, com queixa de atraso de linguagem. O psicodiagnóstico foi realizado pela psicóloga através do IRDI-questionário, Childhood Autism Rating Scale(CARS) e Avaliação Psicanalítica dos Três anos(AP3), e a avaliação da linguagem foi realizada pela fonoaudióloga através da análise de vídeos, a partir dos princípios enunciativos. Resultados: As avaliações AP3 e IRDI-questionário demonstraram que os cinco casos tiveram ou têm risco psíquico, mas a avaliação de base psicanalítica foi mais sensível aos diferentes tipos de risco. A CARS detectou um caso de autismo. A visão enunciativa de avaliação da linguagem permitiu observar a relação entre aspectos psíquicos e funcionamento de linguagem, sobretudo quando considerado o processo de semantização da língua e o princípio da intersubjetividade. A intervenção precoce realizada pelo fonoaudiólogo pode diminuir risco psíquico quando atravessada pelas teorias psicanalítica e enunciativa. Conclusão: As teorias psicanalítica e enunciativa foram complementares na detecção de risco psíquico e avaliação de linguagem nos casos de atraso na aquisição da linguagem, demonstrando que seus instrumentos foram efetivos na diferenciação diagnóstica.


Palavras-chave


Desenvolvimento infantil; Linguagem; Psicanálise; Fonoaudiologia

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: https://doi.org/10.23925/2176-2724.2019v31i1p54-68

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




A revista Distúrbios da Comunicação e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em https://revistas.pucsp.br/dic. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em https://revistas.pucsp.br/dic.