Ocorrência e amplitude do efeito de supressão das emissões otoacústicas evocadas por cliques lineares

Elaine C. Sousa, Michele V. Garcia, Marisa F. de Azevedo

Resumo


Objetivo:Averiguar a ocorrência e a amplitude de supressão das emissões otoacústicas transitórias (EOAT) em recém-nascidos a termo, sem indicadores de risco para a deficiência auditiva, com estímulos cliques lineares e comparar aos cliques não lineares. Material e Método: Avaliados 19 recém-nascidos com idade entre 30 e 120 dias, que obtiveram EOAT presentes bilateralmente. As EOAT com cliques lineares a 60dB pe NPS (±5dB) foram registradas pelo equipamento ILO 96, Otodynamics Analyser, na ausência e presença de ruído branco contralateral a 65dB NPS(±5dB). A ocorrência e a amplitude do efeito de supressão foram verificadas comparando-se a variação dos valores da resposta geral, em cada orelha, na presença e ausência do ruído supressor. Resultados:A supressão esteve presente, na orelha direita, em 90,0% dos indivíduos do sexo feminino e em 77,8% dos indivíduos do sexo masculino e, na orelha esquerda, em 80,0% dos indivíduos do sexo feminino e em 66,7% dos indivíduos do sexo masculino. A média de amplitude de supressão, na orelha direita, foi de 5,17dB para o sexo feminino e de 7,14dB para o sexo masculino e, na orelha esquerda, foi de 5,10dB para o sexo feminino e de 6,92dB para o sexo masculino. Não houve diferença estatisticamente significante entre os sexos e orelhas avaliadas quanto à ocorrência e amplitude do efeito de supressão das emissões otoacústicas evocadas por estímulo transiente. Conclusão: A técnica linear, em comparação à não linear, mostrou-se eficaz para a avaliação da função eferente em neonatos a termo, sem fatores de risco para a deficiência auditiva.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




A revista Distúrbios da Comunicação e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em https://revistas.pucsp.br/dic. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em https://revistas.pucsp.br/dic.