Avaliação da proficiência de professores de matemática em equações literais: um estudo de caso comparativo com proposta de manual didático

Evando Santos Araújo, Manoel Pereira da Silva Filho

Resumo


Equações Literais são expressões matemáticas que possuem, além da variável em questão, coeficientes representados de forma genérica por letras. Essas equações recebem destaque na busca por uma aprendizagem de matemática mais significativa, uma vez que podem ser utilizadas para modelar e interpretar inúmeros fenômenos em diversas áreas do conhecimento. Neste trabalho, avaliou-se a proficiência de professores de matemática em equações literais a partir das respostas dadas por eles a questionários que discutiam aspectos da formação acadêmica, da prática docente e do conhecimento técnico sobre o assunto. Os dados coletados foram analisados via modelo de Rasch Dicotômico, antes e depois da disponibilização de um manual didático aos participantes da pesquisa, produzido para sanar possíveis dificuldades com o tema. Os resultados iniciais se mostraram bastante preocupantes uma vez que, para a grande maioria dos participantes, o modelo retornou que a habilidade desses profissionais era insuficiente para que respondessem positivamente aos itens sobre o conhecimento do conteúdo. Esse resultado foi relacionado com a formação inicial e o exercício docente. Por outro lado, verificou-se que após a capacitação com o manual didático, o nível de conhecimento desses indivíduos aumentou significativamente nos quesitos avaliados inicialmente, com consequente aumento das probabilidades de sucesso com o tema.


Palavras-chave


Ensino-aprendizagem; Equações literais; Intervenção didática; Avaliação; Modelo de Rasch.

Texto completo:

PDF

Referências


AZIZ, A. A., Insights into Engineering Education Learning Outcome’s Assessment with Rasch Model. Research Journal of Applied Sciences, Engineering and Technology, v. 6, n.19, 2013.

CALLINGHAM, R.; BOND, T. Research in mathematics education and Rasch measurement. Mathematic Education Research Journal, v. 18, n. 2, 2006.

FARIA, F. L.; FREITAS-REIS, I. A percepção de professores e alunos do ensino médio sobre a atividade estudo de caso. Ciência e Educação, v. 22, n. 2, 2016.

FIORENTINI, D.; LORENZATO, S. Investigação em educação matemática: percursos teóricos e metodológicos. (Coleção Formação de Professores). 3.ed. rev. Campinas, Autores Associados. 2009.

FREITAG, B.; MOTA, V. R.; COSTA, W. F. O livro didático em questão. 3. ed. São Paulo, Cortez. 1997.

HAINES, C.; CROUCH, R. Recognizing constructs within mathematical modelling. Teaching Mathematics and its Applications, v. 20, n. 3, 2001.

LEÃO, A. S. G.; BISOGNIN, V. Construção do conceito de função no ensino fundamental por meio da metodologia de resolução de problemas. Educação Matemática em Revista, v. 1, n. 10, 2009.

MELO, E. V.; FIREMAN, E. C. Ensino e aprendizagem de funções trigonométricas por meio do software Geogebra aliado à modelagem matemática. REnCiMa, v. 7, n. 5, 2016.

MELO, G. N. Formação inicial de professores para a educação básica: uma revisão radical. São Paulo, Perspectivas, v. 14, n. 1, 2000.

MILANI, W. N. A Resolução de problemas como ferramenta para a aprendizagem de progressões aritméticas e geométricas no ensino médio. 127 f. Dissertação (Mestrado em Educação matemática) - Universidade Federal de Ouro Preto. Ouro Preto, 2011.

PEREZ, G. Prática reflexiva do professor de matemática. In: BICUDO, M. A. V.; BORBA, M. C. (org). Educação matemática: pesquisa em movimento. São Paulo, Cortez. 2004.

RASCH, G. Probabilistic models for some intelligence and attainment tests. Chicago, University of Chicago Press. 1980.

RODRIGUES, F. C.; GAZIRE, E. S. Reflexões sobre uso de material didático manipulável no ensino de matemática: da ação experimental à reflexão. Revista Eletrônica de Educação Matemática, v. 7, n. 2, 2012.

RYAN, J.; WILLIAMS, J. Mathsmaps for diagnostic assessment with pre-service teachers: stories of mathematical knowledge. Mathematics Education Research, v. 9, n. 1, 2007.

SANTOS, R.; LORETO, A. B.; GONÇALVES, J. L. Avaliação de softwares matemáticos quanto a sua funcionalidade e tipo de licença para uso em sala de aula. RenCiMa, v. 1, n. 1, 2010.

SANTOS, S. R. M.; COSTA, P. M. D. Sobre a didática e as didáticas específicas: o que está em questão na formação docente? Revista de Educação, Ciências e Matemática, v. 3, n. 2, 2013.

SHERWOOD, W. Real-Life Math: algebra. Portland-EUA, Walch Publishing. 1988.

SILVA, A. V.; COSTA,L. F. M. A resolução de problemas como metodologia de ensino da Matemática: o caso dos alunos do 7º ano do Ensino Fundamental da Escola Estadual “São José Operário”. REVEMAT, v. 8, n. 2, 2013.

SOUZA, I. S.; FERREIRA, R. S. Algumas reflexões sobre a formação inicial do professor de matemática: vivências do estágio supervisionado. Ensino da Matemática em Debate, v. 5, n. 2, 2018.

VAN STIPHOUT, I.; DRIJVERS, P.; GRAVEMEIJER, K. The Development of Students’ Algebraic Proficiency.International Electronic Journal of Mathematics Education, v. 8, n. 2-3, 2014.

WARWICK, J. Assessing the efficacy of a Student Expectations questionnaire. Teaching Mathematics and Its Applications, v. 31, n.2, 2012.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Ensino da Matemática em Debate (ISSN 2358-4122)

Indexadores:

    

  


Os artigos publicados não expressam necessariamente a opinião da revista e são de responsabilidade exclusiva dos autores.

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional