Práticas pedagógicas em matemática na EJA e a permanência de estudantes em uma escola da zona rural do Ceará
Pedagogical practices in mathematics in the EJA and the staying of students in a school of the rural area of Ceará

Adriano Vargas Freitas, Francisco Josimar Ricardo Xavier

Resumo


O artigo apresenta recorte de pesquisa de Mestrado em Educação, que objetiva compreender a influência das práticas pedagógicas matemáticas de professores de EJA para a permanência de estudantes em uma escola da zona rural do Ceará. Discutimos o sentido de permanência que as estudantes conferem para seus estar na escola de EJA. Dentre os resultados, a verificação de que, embora as professoras utilizem de estratégias pedagógicas variadas, ainda assim, tais práticas são percebidas mais como ação de ensinar matemática do que reconhecer e construir, junto com as estudantes, seus saberes matemáticos. Além disso, que tais práticas têm influência sobre a permanência das estudantes na escola, na medida em que elas nos dizem que lá estão por que desejam aprender mais, uma matemática “de caneta”, diferente dos seus saberes, que seria, para elas, a matemática “de cabeça”.


Palavras-chave


Educação de Jovens e Adultos; Matemática; Permanência

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de. Estudos de caso em pesquisa e avaliação educacional. Brasília: Liberivros, 2005.

BECKER, Howard Saul. Falando da Sociedade: ensaios sobre as diferentes maneiras de representar o social. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed, 2009, p.15-77.

BRASIL. Proposta Curricular para a EJA: Primeiro Segmento. Ensino Fundamental. Secretaria da Educação Fundamental. Brasília: MEC, 2001.

CARMO, Gerson tavares do; SILVA, Cristiana Barcelos da. Da evasão/fracasso escolar como objeto “sociomediático” à permanência como objeto de pesquisa: o anúncio de uma consrução coletiva. In: CARMO, Gerson Tavares do (org.). Sentido da permanência na educação de jovens e adultos: anúncio de uma construção coletiva. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2016. p. 41-73.

D’AMBROSIO, Ubiratan. Educação matemática: da teoria à prática. 23 ed. Campinas: Papirus, 2012.

FONSECA, Maria da Conceição F. R. Educação matemática de jovens e adultos: especificidades, desafios e contribuições. 3 ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2012.

FRANCO, Maria Amélia do R. Santoro. Pedagogia e prática docente. São Paulo: Cortez, 2012. Coleção Docência em Formação: Saberes pedagógicos.

FREITAS, Adriano Vargas. Educação Matemática e Educação de Jovens e Adultos: estado da arte de publicações em periódicos (2000 a 2010), 2013. 360 f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Pontífica Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2013.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GINZBURG, Carlo. Olhos de madeira: nove reflexões sobre a distância. São Paulo: Companhia das Letras, 2001, p.15-41.

LÜDKE, Menga e ANDRÉ, Marli E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MORAES, Roque e GALIAZZI, Maria do Carmo. Análise Textual Discursiva. 3 ed. rev. ampl. Ijuí: Unijuí, 2016.

OLIVEIRA, Marta Kohl. Jovens e adultos como sujeitos de conhecimento e aprendizagem. 22ª Reunião Anual da Anped, Caxambu, 1999.

REIS, Dyane Brito. O significado de permanência: explorando possibilidades a partir de Kant. In: CARMO, Gerson Tavares do (org.). Sentido da permanência na educação de jovens e adultos: anúncio de uma construção coletiva. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2016. p. 73–92.




DOI: https://doi.org/10.23925/1983-3156.2019v21i1p238-253

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


INDEXADORES DA REVISTA