O USO DE TECNOLOGIAS DIGITAIS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO EM UM CURSO DE INGLÊS PARA FINS ESPECÍFICOS NA ÁREA JURÍDICA

Adriana M. Z. P. ROSSINI

Resumo


Apoiada na Abordagem Línguas para Fins Específicos, a discussão apresentada neste artigo, recortada de pesquisa de doutorado, destaca atividades que usam recursos digitais, elaboradas para o curso de inglês para profissionais da área jurídica, Inglês Instrumental: leitura de textos jurídicos, desenvolvido pelo Grupo Abordagem Instrumental e Ensino-Aprendizagem de Línguas em Contextos Diversos – GEALIN. Esse curso vem sendo ministrado na Coordenadoria Geral de Especialização, Aperfeiçoamento e Extensão – COGEAE / PUCSP desde 2006, tendo sido redesenhado para inclusão de atividades que recorrem a recursos tecnológicos, como dicionários online. Dados da pesquisa foram obtidos por meio de questionários e entrevistas visando identificar a percepção dos alunos quanto ao seu desempenho nas atividades de caráter digital e ao seu progresso no desenvolvimento da leitura e na aquisição de vocabulário. Resultados revelam leitura mais dinâmica a partir do uso do dicionário online, ferramenta considerada pelos alunos de grande importância na expansão de vocabulário técnico-jurídico.


Palavras-chave


Inglês para Fins Específicos; Proposta Pedagógica de Ramos; Inglês jurídico; Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação; Dicionários Online

Texto completo:

PDF

Referências


BRAGA, D. B. 2013. Ambientes digitais: reflexões teóricas e práticas. São Paulo: Cortez.

CONCEIÇÃO, M. P. 2004. Vocabulário e consulta ao dicionário: Analisando relações entre experiências, crenças e ações na Aprendizagem de LE. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos). Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte.

COURA SOBRINHO, J. 2000. O dicionário como instrumento de auxilio em língua estrangeira. In: V. J. LEFFA. As palavras e sua companhia: o léxico na aprendizagem das línguas. Pelotas: EDUCAT. p. 76-97.

FONTES, M. C. M. 2002. Aprendizagem de inglês via Internet: descobrindo as potencialidades do meio digital. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

GAIRNS, R. 1995. Working with words: a guide to teaching and learning vocabulary. 9th ed. Cambridge: Cambridge Handbooks for Language Teachers.

HÖFLING, C.; SILVA, M. C. P. Da; TOSQUI, P. 2004. O dicionário como material didático na aula de língua estreangeira. Intercâmbio, v. 13, p. 1-7.

LEFFA, V. J. 2001. O uso de dicionários on-line na compreensão de textos em língua estrangeira. Trabalho apresentado no VI Congresso Brasileiro de Linguística Aplicada. Belo Horizonte: UFMG, 7-11 de outubro de 2001. p. 39 (resumo).

MERCADO, L. P. L. (Org.). 2002. Novas tecnologias na educação: reflexões sobre a prática. Maceió: EDUFAL.

PAIVA, V. L. M. de O. e. 1999. Diários online na aprendizagem de língua inglesa mediada por computador. In: H. MARI; S. PIRES; A. R. CRUZ; I. L. MACHADO. (Orgs.). Fundamentos e Dimensões da Análise do Discurso. Belo Horizonte: Carol Borges. p. 359-78. Disponível em: . Data de acesso: 16 mar. 2016.

PANDOLFI, M. A.; TOSQUI, P. Cultura e sociedade no ensino de línguas para o Turismo. Anais do XX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. Porto Alegre, 2004, CD-ROM.

QUEVEDO, A. G.; CRESCITELLI, M. F. C. 2005. Recursos tecnológicos e ensino de língua materna e estrangeira (a distância ou semipresencial). Revista Linha D’agua, n. 18, p. 43-53. Disponível em: . Data de acesso: 14 mar. 2016.

RAMOS, R. C. G. 2004. Gêneros textuais: uma proposta de aplicação em cursos de inglês para fins específicos. The ESPecialist, vol. 25, nº 2, p. 107-29.

SCHMITZ, J. R. 2000. Algumas considerações sobre a dificuldade da utilização de dicionários de aprendizes dentro e fora da sala de aula. In: V. J. LEFFA. As palavras e sua companhia: o léxico na aprendizagem das línguas. Pelotas: EDUCAT. p. 171-9.

SILVA, F. O. da. Análise de necessidades de inglês jurídico para advogados. 2012. 137 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2012.

TONO, Y. 1988. Can a Dictionary Help One Read Better? On the Relationship between E.F.L. Learners’ Dictionary Referrence Skills and Reading Comprehension. G. JAMES (Ed.). Lexicography and Their Works. Exeter Linguistic Studies, 14, p.192-200.

TOSQUI, P. 2002. O dicionário bilíngue como ferramenta de ensino-aprendizagem de uma língua estrangeria. Trabalhos em Linguística Aplicada, vol. 40, p. 101-14.

WELKER, H. A. 2006. Pesquisando o uso de dicionários. Linguagem & Ensino, v. 9, nº 2, p. 223-43, jul./dez.




DOI: https://doi.org/10.23925/2318-7115.2017v38i1a5

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Indexicadores

Apoio

A Revista The Especialist e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Lincença Creative Commons: Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0)