A escrita de apropriação no contexto da pós-produção

Leonardo Nabuco Villa-Forte

Resumo


Cada vez surgem mais trabalhos de texto criados não a partir da escrita de mão própria de um autor, mas da apropriação que este autor faz a partir de trechos ou até conteúdos inteiros de obras alheias ou outras fontes, como transmissões radiofônicas e edições de jornal. Em 2007, o crítico e curador francês Nicolas Bourriaud propôs a ideia de “pós-produção” para aglutinar obras de arte feitas seguindo o procedimento do ready-made. Em 2011, Kenneth Goldsmith, poeta, artista e professor norte-americano da Universidade da Pensilvânia, lançou o conceito de “escrita não-criativa”, transportando uma ideia semelhante para o meio textual. Com essas bases, verificaremos para onde tais práticas apontam e como podemos pensá-las no contexto mais amplo do contemporâneo, em diálogo com a Internet e a avassaladora quantidade de informação que dispõe.


Palavras-chave


Apropriação; autoria; montagem; literatura; arte.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 FronteiraZ : Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

FronteiraZ está indexada em: