“Amante de selvagem rebelião”: a figuração satânica nas profecias continentais de William Blake

Andrio J. R. dos Santos

Resumo


Neste estudo, analiso o desenvolvimento temático da figura satânica de William Blake, a personagem Orc, nos poemas iluminados denominados de “Continental Prophecies”, compostos pelas obras America A Prophecy (1793), Europe A Prophecy (1794) e The Song of Los (1795), este dividido em duas partes, Africa e Asia. Nessas obras, Blake articula temas como apocalipse, energia, imaginação e revolução — em relação à Revolução Francesa e à Americana — e tece críticas ao pensamento político, religioso e artístico do período. Minha discussão é desenvolvida em um constante diálogo entre três instâncias: religiosa, social e artística. Tal concepção é abordada por Peter Schock (2003), tratada como “Matriz Cultural”. Este estudo explora como a arte de Blake dialoga com as revoluções do século XVIII, sobretudo a Francesa e a Americana, discuti suas influências religiosas, políticas e artísticas, além de oferecer uma concepção acerca do ideal satânico de Blake, suas reinterpretações e subversões.


Palavras-chave


Satanismo; Apocalipse; Revolução; Orc

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/1983-4373.2017i19p272-290

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 FronteiraZ : Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

FronteiraZ está indexada em: