O rosto divino do Absurdo – do suicídio de Kierkegaard

Rafael de Castro Lins, Aline Leite Grunewald

Resumo


De começo, o artigo ressalta parâmetros essenciais do pensamento filosófico do escritor franco-argelino Albert Camus, mais acertadamente toca nos temas do Absurdo e do Suicídio Filosófico como descritos em O Mito de Sísifo. O fito dessa passagem primeira é divisar a perspectiva camusiana acerca do filósofo dinamarquês Søren Kierkegaard, a fim de apontar elementos textuais e conceituais que revelem como Camus se inspirou em Kierkegaard para compor a persona religiosa de seu romance mais popular, o Capelão Prisional de O Estrangeiro. Um pouco além desta vereda central em que o texto segue, os autores foram postos em paralelo por via dos temas suscitados por Camus e a partir do sintomático postulado camusiano do qual Kierkegaard é o alvo principal, o Suicídio Filosófico.       


Palavras-chave


Absurdo; Suicídio Filosófico; Kierkegaard; O Estrangeiro; O Mito de Sísifo

Texto completo:

PDF (English)


DOI: https://doi.org/10.23925/1983-4373.2018i20p222-239

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 FronteiraZ : Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

FronteiraZ está indexada em: