Análise de correspondência entre perfil municipal e recursos de royalties de petróleo no Estado de Sergipe

Nadielli Maria dos Santos Galvão

Resumo


No Brasil, a partir de 1953 iniciou-se o repasse de royalties de Petróleo a Estados e Municípios que são produtores de tal recurso ou que de alguma forma estão relacionados com as regiões produtoras. O estado de Sergipe é um dos principais nomes no que se refere à produção petrolífera nacional. Além disso, por conta de sua localização, todos os seus municípios recebem alguma fatia proveniente dos royalties. Com isso, o objetivo do estudo foi verificar, por meio da análise de correspondência, a relação entre o perfil dos municípios do estado de Sergipe e os recebimentos de recursos por meio de royalties de petróleo. Como perfil municipal tem-se características como: Expressividade da receita tributária, Dependência das receitas com transferências da União e do Estado e o tamanho da população. Verificou-se que os municípios sergipanos possuem certa dependência dos recursos advindos de royalties de petróleo e isso é ainda mais evidente naqueles com menor população e menor capacidade arrecadatória própria. Torna-se necessário, então, estimular as regiões estudadas a buscarem o autofinanciamento de suas atividades para estes se tornem mais autônomos.


Texto completo:

PDF

Referências


A8SE. Após aprovação da PEC, 11 municípios sergipanos podem ser extintos. Publicado em 06 de novembro de 2019. Disponível em: Acesso em 15 de novembro de 2019.

BARROS; D.M.; LIMA; L.D. Orçamento público, região e financiamento em saúde: rendas do petróleo e desigualdades entre municípios. Ciência & Saúde Coletiva, v.20, n.10, p.2973-2984, 2015.

BELLINI; J.H.; STEPHAN; I.C. A teoria do desenvolvimento desigual e combinado nos municípios produtores de petróleo e gás das regiões norte fluminense e baixadas litorâneas. Geo UERJ, Rio de Janeiro, n. 27, p. 42-63, 2015.

BELLINI; J.H.; STEPHAN; I.C. A teoria do desenvolvimento desigual e combinado nos municípios produtores de petróleo e gás das regiões norte fluminense e baixadas litorâneas. Geo UERJ, Rio de Janeiro, n. 27, p. 42-63, 2015.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. 1988. Disponível em: Acesso em 10 de novembro de 2019.

BRASIL. Lei Nº 12.858, de 9 de Setembro De 2013. Disponível em: Acesso em 2 de agosto de 2019.

BRASIL. Lei nº 7.990, De 28 De Dezembro De 1989. Disponível: Acesso em 2 de agosto de 2019.

BRASIL. Lei nº 9.478 de 6 de agosto de 1997. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9478.htm> Acesso em 2 de agosto de 2019.

CAÇADOR; S.B.; MONTE; E.Z. Impactos dos royalties do petróleo nos indicadores de desenvolvimento dos municípios do Espírito Santo. Interações, v. 14, n. 2, p. 267-278, jul./dez. 2013.

CÂMARA DOS DEPUTADOS. Projeto de Lei 7.321 de 27 de março de 2014.. Disponível em: Acesso em 2 de agosto de 2019.

CARDOSO; D. Quinze novos municípios podem ser criados em SE. 93 Notícias. Publicado em 25 de janeiro de 2019. Disponível em: Acesso em 15 de setembro de 2019.

CARNICELLI; L. POSTALI; F.A.S. Royalties do petróleo e emprego público nos municípios Brasileiros. Estudos Econômicos, v.44, n.3, p.469-495, jul-set/2014.

CARVALHO, M.M.; PALADINI, E.P. Gestão da Qualidade. 2 ed. Rio de Janeiro: Elsevier,

DANTAS; C.V.; REIS; L.M.M. Dimensão Social dos Indicadores de Sustentabilidade dos Municípios Produtores de Petróleo e Gás do Rio Grande do Norte. Holos, n.25, v.4, p.153-165, 2009.

ÉPOCA NEGÓCIOS. Petrobrás faz a maior descoberta desde o pré-sal, em Sergipe e Alagoas. Publicado em 16 de junho de 2019. Disponível em: Acesso em 20/11/2019.

GALVÃO; N.M.S.; MIRANDA; L.C. Participação e Evidenciação de Atletas nos Demonstrativos Contábeis de Clubes de Futebol Brasileiro. Revista de Gestão, Finanças e Contabilidade, v. 6, n. 1, p. 112-131, jan./abr., 2016

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO; ORÇAMENTO E GESTÃO. Proposição das áreas de atuação no ESTADO DE SERGIPE. 2009. Disponível em: < http://www.ibam.org.br/media/arquivos/estudos/royalties_sergipe.pdf> Acesso em 20 de setembro de 2019.

PEREIRA; D.A.L.; CHAVES NETO; A. Índices de desenvolvimento municipais e royalties do petróleo: uma abordagem multivariada de comparação de perfis entre municípios que recebem ou não royalties pelo petróleo produzido. Gestão da Produção, Operações e Sistemas, Ano 12, no 3, jul-set/2017, p. 238-264.

PINGO; A. Quinze novos municípios podem ser criados em Sergipe; seis deles na região do sertão. Pingou Notícias. Publicado em 24 de janeiro de 2019. Disponível em: Acesso em 10 de outubro de 2019.

POSTALI; F.A.S.; NISHIJIMA; M. Distribuição das Rendas do Petróleo e Indicadores de Desenvolvimento Municipal no Brasil nos Anos 2000. Estudos Econômicos, vol.41, n.2, pp.463-485, 2011.

QUEIROZ; C.R.A.; POSTALI; F.A.S. Rendas do petróleo e eficiência tributária dos municípios brasileiros. Economia & Tecnologia - Ano 06, Vol. 22 – p. 147- 155, Julho/Setembro de 2010.

REIS; D.A.; SANTANA; J.R. Os efeitos da aplicação dos royalties petrolíferos sobre os investimentos públicos nos municípios brasileiros. Revista de Administração Pública, v.49, n. 1, p.91-117, 2015.

SEGANTINI; G.T.; LUCENA; E.R.F.C.V.; OLIVEIRA; R.M.A. Análise do Impacto dos Royalties do Petróleo no Desenvolvimento Local dos Municípios Potiguares. Revista Ambiente Contábil, v. 1. n. 2, p. 12 – 21, jul./dez. 2009.

SENADO. Paulo Guedes: ‘Plano Mais Brasil pretende transformar o Estado brasileiro’. Publicado em 05 de novembro de 2019. Disponível em: Acesso em 15 de novembro de 2019.

SICOFiN. Contas anuais. Disponível em: Acesso no mês de outubro de 2019.

SILVA; L.F.L.; JACOVINE; L.A.G.; SILVA; M.L.; ISBAEX; C. REGO; L.J.S. Correlação das Variáveis Socioeconômicas e Ambientais com royalties petrolíferos e CFEM municipais. Floresta e Ambiente, v.24, 2017.




DOI: https://doi.org/10.23925/cafi.v3i1.46078

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

A Revista CAFI apoia a Declaração de São Francisco sobre Avaliação de Pesquisa (DORA)

 Cirad assina a Declaração de São Francisco sobre a avaliação da pesquisa (DORA). Logo da iniciativa DORA



Indexadores

Conforme Qualis único de  2017-2018 (divulgado em 2019)


 

 

 

logo

 

Diretórios 

 

 

 

 

Creative Commons

 

A Revista Cafi adota a licença do CC-BY Creative Commons Attribution 4.0

 


ISSN 2595-1750