Uma dinâmica interacional complexa

Yvana Fechine

Resumo


Plan

Introdução

1. Uma estranha combinação entre regimes interacionais

1.1. Modelo e procedimento de análise

1.2. A questão teórica em pauta

2. Regimes de interação entre Bolsonaro e apoiadores na pandemia

2.1. O fazer manipulatório de base

2.2. Iterações programadas e robotização do político

2.3. A retórica do contato direto : ajustamento a serviço do fazer manipulatório

2.4. A resignação compartilhada

2.5. Reversibilidades : para além do assentimento e do acidente, a volta à manipulação

3. Uma dinâmica interacional complexa

3.1. Escolha de base

3.2. O círculo estratégico

Conclusão


Palavras-chave


elipse (vs quadrado); populismo; programa de base vs de uso; regimes de interação

Texto completo:

PDF

Referências


Fechine, Yvana, “Passions et présence dans le populisme numérique brésilien”, Actes Sémiotiques, 123, 2020 (https://www.unilim.fr/actes-semiotiques/6545).

Fechine, Yvana, Coronavírus em xeque, Recife, Universidade Federal de Pernambuco, Rádio Universitária Paulo Freire, Interprogramas, 2020 (https://sites.ufpe.br/rpf/ category/coronavirus-em-xeque/cex-artigos/).

Fiorin, Jose Luiz, Argumentação, São Paulo, Contexto, 2015.

Landowski, Eric, “La politique-spectacle revisitée : manipuler par contagion”, Versus, 107, 2008.

Landowski, Eric, “Shikata ga nai ou Encore un pas pour devenir vraiment sémioticien !”, Lexia, 11, 2012.

Landowski, Eric, Interações arriscadas (2005), São Paulo, Estação das Letras e Cores - CPS, 2014.

Landowski, Eric, “Crítica semiótica do populismo”, Galáxia, 44, 2020.




DOI: https://doi.org/10.23925/2763-700X.2021n1.54179

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Revista Acta Semiotica

URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/deed.pt_BR