Entrevista-Mosaico: canção popular, literatura e política

Carlos Rogério Duarte Barreiros

Resumo


Partamos do seguinte pressuposto: o de que, de forma geral, as finalidades da
entrevista publicada numa revista acadêmica como esta é a pretensão da objetividade – dá-se
a voz ao entrevistado especialista no assunto que se pretende perscrutar, reproduzindo-lhe as
palavras literalmente – associada a certa informalidade característica da fala, se a entrevista
tiver sido gravada, em conversa, o que garantiria, de certa forma, algum efeito de verdade,
dado pela resposta no calor da hora e do debate. Não se deixe de lado, ainda, que as
características gerais da entrevista – o rumo que ela toma, os temas levantados, o bom-humor
ou a sisudez, a extensão e complexidade das perguntas e das respostas –, tudo isso também
diz respeito ao entrevistador. Talvez seja exatamente por esta característica que a entrevista
figure nas revistas acadêmicas: a de que se confrontam e confinam, simultaneamente,
diferenças e similitudes do diálogo, ao menos em entrevistas conduzidas abertamente, em que
entrevistado e entrevistador se deixam provocar livremente, ao sabor da fala, fugindo
eventualmente ao tema central porque é dele próprio essa fuga, e retornando a ele quando se
faz necessário, pelo rigor acadêmico.

Palavras-chave


cultura popular; literatura; politica

Texto completo:

Sem título () PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1982-6672

DOI 10.23925/1982-6672