JOSÉ MARÍA ARGUEDAS E A MÚSICA NOVOANDINA: O SEU LEGADO CULTURAL NO SÉCULO XXI

Ulises Juan Zevallos-Aguilar, Tradução Antonio Nolberto de Oliveira Xavier

Resumo


Neste artigo é estudada a concepção do escritor peruano José María Arguedas como herói cultural peruano. Após descrever as características de herói cultural, foco a análise na produção musical do grupo de fusão rock e huayno Uchpa. Os músicos deste grupo consideram-se herdeiros de Arguedas. Citam seu testamento artístico-político, enunciado de maneira sintética no discurso “Não sou um aculturado” (1969), para legitimar sua prática artística e continuar a missão interrompida pela morte do autor de Los ríos profundos. Arguedas sustentava a existência de um indivíduo quéchua moderno que não precisava renunciar a sua cultura para ser cosmopolita.

Palavras-chave


Apropriação Criativa; Herói Cultural; Quéchua Moderno; Fusão Musical; Cosmopolitismo do Pobre; Nação Encurralada; Uchpa; José María Arguedas

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.