A classificação das ciências na biblioteca do Conde da Barca

Márcia H.M. Ferraz

Abstract


Antônio de Araújo de Azevedo (1754-1817), Conde da Barca, ocupou diversos cargos junto ao governo português, aproveitando para aprofundar seus conhecimentos em ciência moderna e ampliar a sua biblioteca. Em 1807, a biblioteca chegou ao Brasil, onde continuou a crescer. Após a morte do Conde da Barca, a biblioteca foi posta à venda, para o qual era essencial a elaboração de um catálogo, atualmente depositado na Biblioteca Nacional do Brasil. No presente estudo abordamos as possíveis fontes do catálogo da biblioteca do Conde da Barca e reconstruímos a árvore bibliográfica da mesma. O nosso estudo sugere que os livros do Conde da Barca não foram classificados de acordo com Jean Garnier. A classificação de Jacques C. Brunet, ao menos quanto às grandes classes, seria a que mais se aproxima do caso aqui estudado. Importante ressaltar que se trata de um período de transição, em que alguns ramos relativos às ciência, na árvore do conhecimento desaparecem, enquanto outros, representando novas especialidades vão surgindo e se fortalecendo. Assim, não seria de se esperar que um modelo único fosse seguido. De qualquer forma, essa coleção e sua classificação refletem não só a forma de pensar daquele momento como também da pessoa que está fazendo uso dos livros.


Keywords


Organização do conhecimento; Século XVIII; Conde da Barca; Biblioteca; Catálogo



DOI: https://doi.org/10.23925/1980-7651.2017v19;p134-49