A mística neoplatônica cristã como critério de escolha do cômputo pascal egípcio na obra De Paschate, de Dionísio Exíguo

Rodrigo Pires Vilela da Silva

Abstract


Dionísio Exíguo, monge de Cítia, compôs em meados do século VI um conjunto de textos sobre o cálculo da Páscoa, depois reunidos numa obra intitulada De Paschate, na qual apresentou o calendário egípcio e a importância da “lua eclesiástica”. O De Paschate é constituído de uma tradução de textos, de uma tabela pascal e de um manual de argumentos sobre como saber a data do domingo de Páscoa. A pesquisa mostra a relação entre a epistemologia neoplatônica e as práticas litúrgicas de Alexandria, a partir do termo “lua eclesiástica”, em meio às complexas relações entre as Igrejas Orientais, Roma e o Império, conforme a proposta metodológica da História da Ciência. A pesquisa encontra o significado desta lua perfeita, ou seja, livre das irregularidades do curso lunar ordinário, e apresenta a razão da escolha do calendário egípcio para a contagem pascal de todo o Império. Junto à pesquisa, foi elaborado uma tradução original do texto dionisiano para a língua portuguesa, com notas explicativas, de modo que favoreça o debate sobre a ciência medieval, sua epistemologia na História da Ciência.

Keywords


História da Ciência; Dionísio Exíguo; Computus Paschalis; Ciência medieval; Episte-mologia neoplatônica medieval

Full Text:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/1980-7651.2020v26;p32

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM