A leitura de Heidegger acerca do niilismo e da sentença de Nietzsche “Deus está morto”

Ronnielle de Azevedo Lopes, Douglas Aparecido Bueno

Resumo


O presente estudo tem como escopo refletir acerca da metafísica, apoiando-se na reflexão que Heidegger empreende acerca do niilismo e da sentença de Nietzsche “Deus está morto”. “Deus está morto” significa desvalorização de todos os valores supremos. É o niilismo; a metafísica mesma: o esquecimento do ser. Para Heidegger, Nietzsche é o pensador que concebe a “morte de Deus” como a lógica interna da metafísica. Todavia, ainda se processa dentro da própria metafísica. O pensamento de Nietzsche, não obstante aos seus esforços, é um platonismo invertido. Desse modo, a metafísica de Platão a Nietzsche é marcada pelo o esquecimento do ser.

Palavras-chave


Niilismo; Morte de Deus; Nietzsche; Heidegger; Superação da metafísica

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19176/rct.v0i78.14445

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



ISSN Online 2317-4307 | Impresso (descontinuada) 0104-0529

A Revista de Cultura Teológica e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em http://revistas.pucsp.br/culturateo. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em http://revistas.pucsp.br/culturateo.


A Revista de Cultura Teológica está:

Associada a:

Indexada em:

  Google Acadêmico

Presença em Bibliotecas: