Manejo fonoaudiológico do paciente traqueostomizado no contexto da Covid-19: uma revisão do conhecimento atual

Sabrina Brisse Gonçalves Cerqueira, Julianne Pitanga Teixeira, Tatiane Costa Carneiro, Grasiella Pereira Ferreira, Júlia Hellen Santana da Silva, Larissa Oliveira da Graça, Wellida Gardeny Silva, Brenda Carla Lima Araújo

Resumo


Introdução: O SARS-CoV-2 se estabeleceu como um dos principais agentes etiológicos de instabilidade da função pulmonar e repercussões no trato respiratório. Devido à necessidade de suporte ventilatório prolongado, pode ser observado aumento na demanda da indicação da traqueostomia. Objetivo: verificar as evidências disponíveis sobre o manejo fonoaudiológico da traqueostomia em pacientes com COVID-19, através de uma revisão breve do conhecimento atual. Método: As buscas foram realizadas nas bases de dados do Pubmed, Lilacs, Scielo, Web of Science, Scopus e Google Scholar, no período de agosto de 2020, através dos descritores “tracheostomy and COVID-19”, extraídos do Medical Subject Headings (MeSH) e dos Descritores em Ciências da Saúde (DeCS). Resultados: seis estudos foram selecionados, de acordo com os critérios de elegibilidade. O processo de desmame do cuff ou troca da cânula da traqueostomia foi sugerido após resultado negativo para COVID-19. Os estudos sugerem avaliação clínica da deglutição, o uso de cânulas sem fenestra, com cuff insuflado. O uso de equipamentos de proteção individual foi fortemente indicado durante os procedimentos. Não há consenso quanto à intervenção fonoaudiológica para pacientes traqueostomizados com COVID-19. Conclusão: Esta revisão não mostrou evidências científicas sobre o manejo fonoaudiológico da traqueostomia em pacientes com COVID-19.


Palavras-chave


Fonoaudiologia; Traqueostomia; Coronavírus; Transtornos de deglutição; Assistência Hospitalar

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: https://doi.org/10.23925/2176-2724.2021v33i1p178-185

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




A revista Distúrbios da Comunicação e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em https://revistas.pucsp.br/dic. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em https://revistas.pucsp.br/dic.