Processamento fonológico e leitura em crianças com dificuldade de aprendizagem em escolas bilíngues português-inglês

relatos de casos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.23925/2176-2724.2022v34i1e52385

Palavras-chave:

Multilinguismo, Leitura, Fracasso Acadêmico

Resumo

Introdução: Há influência positiva no desenvolvimento da linguagem, quando ocorre a exposição a um novo idioma. No entanto, quando se considera esse contexto em crianças com dificuldade de aprendizagem, o deficit apresentado na primeira língua pode ser transferido para o aprendizado da segunda. Objetivo: O objetivo do presente estudo é caracterizar o desempenho em processamento fonológico e leitura em três crianças com dificuldade de aprendizagem em escolas bilíngues português-inglês. Método: Os dados gerais sobre o desenvolvimento e desempenho nas habilidades de consciência fonológica, memória de trabalho fonológica, acesso ao léxico mental e leitura em três crianças de 8 a 9 anos de idade, cursando 2º e 3º ano do ensino fundamental foram descritos; todos com, ao menos, dois anos de exposição à escola bilíngue, especialmente na alfabetização. Na avaliação, foram aplicados os protocolos CONFIAS, Memória de Trabalho Fonológica, TENA, RAN e Protocolo de Avaliação da Compreensão Leitora de Textos Expositivos. Resultado: as crianças apresentaram desempenho aquém do esperado nas habilidades do processamento fonológico, na fluência da leitura oral, bem como na compreensão leitora. Conclusão: esses resultados podem contribuir tanto para a compreensão de aspectos da linguagem escrita na atuação do fonoaudiólogo com crianças bilíngues, quanto para as implicações clínicas e educacionais, haja vista a escassez de estudos nessa área, no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Referências

Flores BTM. Bilinguismo. Textura, Canoas. 2005; 7(12): 79-89.

Souza LBR, Leite AGC. Profile of phonological awareness in bilingual and monolingual children. CoDAS. 2014; 26(1): 61-7.

Core C, Scarpelli C. Phonological development in young bilinguals: Clinical Implications. Seminars in speech and language. 2015; 36(2): 100-8.

Megale AH. Bilinguismo e educação bilíngue – discutindo conceitos. ReVEL. 2005: 3(5): 1-13.

Jasińska KK, Petitto LA. Age of bilingual exposure is related to the contribution of phonological and semantic knowledge to successful reading development. Child Dev. 2018; 89(1): 310-31.

Farukh A, Vulchanova M. L1, quantity of exposure to L2 and reading disability as factors in L2 oral comprehension and production skills. Learning and Individual Differences. 2016; 50(1)221-33.

Haman E, Wodniecka Z, Marecka M, Szewczyk J, Bialecka-Pikul M, Otwinowska A et al. How does L1 and L2 exposure impact L1 performance in bilingual children? Evidence from Polish-English migrants to the United Kingdom. Front. Psychol. 2017; 8(1): 327-45.

Leite RCD, Brito LRM, Reis VOM, Pinheiro AMV. Consciência fonológica e fatores associados em crianças no início da alfabetização. Revista Psicopedagogia. 2018; 35(108): 306-17.

Fleury FO, Avila CRB. Rapid naming, phonological memory and reading fluency in Brazilian bilingual students. CoDAS. 2015; 27(1): 65-72.

Swanson HL, Orosco MJ, Kudo M. Does growth in the executive system of working memory underlie growth in literacy for bilingual children with and without reading disabilities? J Learn Disabil. 2015; 50(4): 386-407.

Li S, Tao S, Joshi RM, Xu Q. Second-language reading difficulties among native Chinese-Speaking students learning to read English: the roles of native- and second-language skills. Reading Research Quarterly. 2018; 53(4): 423-41.

Ebert KD, Pham G, Kohnert K. Lexical profiles of bilingual children with primary language impairment. Biling.: Lang. Cogn. 2014; 17(4): 766-83.

Savage R, McBreen M, Genesee F, Erdos C, Haigh C, Nair A. Rapid automatic naming predicts more than sublexical fluency: evidence from English-French bilinguals. Learn Individ Differ. 2018; 62(1): 153-63.

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION. Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders, Fifth Edition (DSM-V). Arlington, VA: American Psychiatric Association, 2013.

PEREIRA, Laïs de Toledo Krücken; GODOY, Dalva Maria Alves; TERÇARIOL, Denise. Estudo de caso como procedimento de pesquisa científica: reflexão a partir da clínica fonoaudiológica. Psicologia: Reflexão e Crítica, [S.L.], v. 22, n. 3, p. 422-429, 2009.

Moojen S, Lamprecht R, Santos RM, Freitas GM, Brodacz R, Siqueira M et al. CONFIAS Consciência Fonológica: Instrumento de Avaliação Sequencial. São Paulo: Casa do Psicólogo; 2003.

Hage SRV, Grivol MA. Desempenho de crianças normais falantes do português em prova de memória de trabalho fonológica. CCL. 2008; 1(1): 61-72.

Silva PB, Mecca TP, Macedo EC. Teste de Nomeação Automática – TENA: Manual. São Paulo: Hogrefe; 2018.

Ferreira TL, Capellini SA, Ciasca SM, Tonelotto JMF. Desempenho de escolares leitores proficientes no teste de nomeação automatizada rápida – RAN. Temas Sobre Desenvolvimento. 2003; 12(69): 26-32.

Saraiva RA, Moojen SMP, Munarski R. Avaliação da compreensão leitora de textos expositivos. São Paulo: Casa do Psicólogo; 2016.

Rocca PDA. Bilingualism and speech: evidences from a study on VOT of English and Portuguese voiceless plosives. DELTA. 2003; 19(2): 303-28.

Ehri LC. O desenvolvimento da leitura imediata das palavras: fases e estudos. IN: Snowling MJ, Hulme C. A ciência da leitura. Ed. Penso, 2013, 153-172.

Capellini, S.A. e Cavalheiro, L.G. Avaliação no nível e da velocidade de leitura em escolares com e sem dificuldade na leitura. Temas sobre Desenvolvimento. 2000; 9(51): 5-12.

Bryant P, Nunes T, Barros R. The connection between children‘s knowledge and use of grafo-phonic and morphemic units in written text and their learning at school. Br. J. Educ. Psychol. 2014; 84(2): 211-25.

Brasil. Decreto nº 9.765, de 11 de abril de 2019. Institui a Política Nacional de Alfabetização e dá outras providências. 11 abr 2019.

Blom E, Küntay AC, Messer M, Verhagen J, Leseman P. The benefits of being bilingual: Working memory in bilingual Turkish–Dutch children. J. Exp. Child Psychol. 2014; 128(1): 105-19.

Goriot C, Unsworth S, Hout RV, Broersma M, McQueen JM. Differences in phonological awareness development: Are there positive or negative effects of bilingual experience? Linguistic Approaches to Bilingualism. 2019; 9(6): 1-34.

Hansen LB, Macizo P, Duñabeitia JA, Saldaña D, Carreiras M, Fuentes LJ et al. Emergent bilingualism and working memory development in school aged children. Language Learning. 2016; 66(S2): 51-75.

Capellini SA, Conrado TLBC. Desempenho de escolares em consciência fonológica, nomeação rápida, leitura e escrita. CEFAC. 2009; 11(Suppl 2): 183-93.

Goodwin A, August D, Calderon M. Reading in multiple orthographies: differences and similarities in reading in Spanish and English for English learners. Language Learning. 2015; 65(3): 596-630.

El-Khechen W, Ferdinand HD, Steinmayr R, McElvany N. Language-related values, reading amount, and reading comprehension in students with migration backgrounds. Br. J. Educ. Psychol. 2015; 86(2): 256-77.

Publicado

2022-03-29

Edição

Seção

Artigos