Procedimentos metodológicos e pesquisa de campo: transitando por caminhos bricolados na pesquisa com povos indígenas
Methodological procedures and field research: moving through bricoleur paths on research with indigenous people

Jonatha Daniel dos Santos, Heitor Queiroz de Medeiros

Resumo


Resumo

Este estudo, a partir de uma abordagem qualitativa, teve como objetivo apresentar alguns caminhos teóricos e metodológicos utilizados em uma pesquisa de doutorado, realizada com o grupo indígena Tupari, localizado no Estado de Rondônia, Região Norte do Brasil, tendo em vista a possibilidade de propor reflexões sobre metodologias, que possam colaborar para a pesquisa em Educação Matemática. No que se refere ao campo teórico, apoiou-se nas contribuições pós-estruturalistas do campo dos Estudos Culturais, em pressupostos das teorias Pós-Coloniais, em autores do Grupo Modernidade/Colonialidade e em outros, articulados à produção do texto. Os resultados indicam que as experiências produzidas em contextos indígenas oportunizam ressignificar práticas de pesquisa, ao mesmo tempo em que permitem desconstruir concepções advindas do pensamento colonial ocidentalizado. Tais ressignificações colaboram para visualizar, por outras lentes, como os saberes matemáticos circulam no espaço em que a pesquisa foi realizada. Essas percepções advertem que pesquisar, além de ser um ato político, acaba se tornando um ato ético, de respeito às diferenças, e, por isso, precisa estar alinhado com teorias que descortinam os encobrimentos coloniais.

Palavras-chave: Metodologia, Saberes Matemáticos, Educação, Pesquisa, Povo Tupari.

Abstract

This study, starting from a qualitative approach, aimed to show some theoretical and methodological paths used in a PhD research, carried out with the Tupari indigenous group, in the State of Rondônia, Brazil North Region, considering the possibility of proposing reflections on methodologies that can contribute for research in Math Education. Regarding to the theoretical field, this research relied on the post-structuralist contributions of the Cultural Studies field, on Post-Colonial theories’ assumptions, on authors of the Modernity/Coloniality Group and others that made it possible to articulate them to the text. The results suggest that the experiences had in indigenous contexts enable the opportunity to give new meaning to research practices while they allow the deconstruction of conceptions from western colonial thinking. Such new meanings help seeing with different eyes how mathematical knowledge flows in places where the research was carried out. These perceptions advise that academic researching, in addition to being a political act, also becomes an act of Ethics, of respect to differences, and therefore, it needs to be aligned with theories that reveal colonial concealments.

Keywords: Methodology, Mathematical Knowledge, Education, Research, Indigenous People.

Resumen

 A partir de un enfoque cualitativo, este estudio tuvo como objetivo presentar algunos caminos teóricos y metodológicos utilizados en una investigación de Doctorado, realizada con el grupo indígena Tupari, ubicado en el Estado de Rondonia, región norte de Brasil, con la intención de proponer reflexiones sobre metodologías que puedan contribuir al estudio de la Educación Matemática. En lo que tiene que ver con el campo teórico, este se apoyó en los aportes pos-estructuralistas del campo de los Estudios Culturales, en postulados de las teorías Poscoloniales, en autores del Grupo Modernidad/Colonialidad y en otros a los que fue posible articular a la producción del texto. Los resultados indican que las experiencias que se producen en los contextos indígenas favorecen la resignificación de prácticas de investigación al mismo tiempo en que permiten deconstruir concepciones provenientes del pensamiento colonial occidentalizado. Dichas resignificaciones facilitan visualizar, a través de otros lentes, la forma como los saberes matemáticos circulan en el espacio en que la investigación fue ejecutada. Esas percepciones demuestran que investigar, más allá de ser un acto político, se convierte en un acto ético, de respeto a las diferencias, y, por lo tanto, debe alinearse con teorías que develan los encubrimientos coloniales.

Palabras clave: Metodología, Saberes Matemáticos, Educación, Investigación, Pueblos indígenas.


Palavras-chave


Metodologia; Saberes Matemáticos; Povo Tupari.

Texto completo:

PDF

Referências


Alves, R. A. (2017). YA KA NA ÃRA WANÃ: movimento indígena e a produção das identidades das crianças Arara-Karo (Pay Gap/RO) [Tese de Doutorado em Educação, Universidade Católica Dom Bosco]

https://site.ucdb.br/public/md-dissertacoes/1020725-rozane-alonso-alves.pdf

Andrade, S. S. A. (2012). Entrevista narrativa ressignificada nas pesquisas educacionais. In

D.E Meyer & M. A. Paraíso. Metodologias de pesquisas pós-críticas em educação. Mazza edições.

Backes, J. L., & Nascimento, A. C. (2011). Aprender a ouvir as vozes dos que vivem nas fronteiras étnico-culturais e da exclusão: um exercício cotidiano e decolonial. Série-Estudos - Periódico do Programa de Pós-Graduação em Educação da UCDB, 31, p. 25-34.

https://www.serie-estudos.ucdb.br/serie-estudos/article/view/110/241

Bogdan, R.C., & Biklen, S. K. (1991). Investigação em Educação. Porto Editora.

Bhabha, H. K.(2014). O local da cultura. Editora UFMG.

Backes, J. L. (2005). A negociação das identidades/diferenças no espaço escolar. [Tese de Doutorado em Educação, Universidade do Vale do Rio dos Sinos]

Cabral, A.S., & Rodrigues, A. (2007). Línguas eculturas Tupí. Kurt Nimuendajú.

Carvalho, J.J de. (2001). O olhar Etnográfico e a Voz Subalterna. Horizontes Antropológicos,

https://www.scielo.br/pdf/ha/v7n15/v7n15a05.pdf

Clifford, J. (2002). A experiência etnográfica: antropologia e literatura no século XX. Editora UFRJ.

Gusmão, N. M. M. de. (2008). Antropologia, estudos culturais e educação: os desafios do nosso tempo. Revista Proposições, 19(3).

https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8643455

Hall, S. (1997). A centralidade da cultura: notas sobre as revoluções culturais do nosso tempo. Educação e Realidade, 22(2).

https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/71361

Hall, S. (2003). Da Diáspora: identidades e mediações culturais. Editora UFMG.

Louro, G. (2007). Conhecer, pesquisar, escrever. Educação, Sociedade e Culturas, 25.

Kincheloe, J.L. & Berry, K. (2007). Pesquisa em Educação: conceituando a bricolagem. Artmed.

Klein, C., & Damico, J. (2012). O uso da etnografia pós-moderna para a investigação de políticas públicas. In MEYER, D.E. & PARAÍSO, M. A. Metodologias de pesquisas pós-críticas em educação. Mazza edições.

Memmi, A.(2007). Retrato do Colonizado Precedido pelo Retrato do Colonizador. Paz e Terra.

Mignolo, W. (1996). Herencias coloniales y teorías postcoloniales. In stephan, Beatriz González (Org.). Cultura y Tercer Mundo: Cambios en el Saber Académico. Editorial Nueva Sociedad.

Nelson, C., & Treichler, P.A., & Grossberg, L. (1995). Estudos Culturais: uma introdução. In Silva, T.T. da. Alienígenas na sala de aula: uma introdução aos estudos culturais em educação. Vozes.

Paraíso, M. A.(2012). Metodologias de pesquisas pós-críticas em educação e currículo: trajetórias, pressupostos, procedimentos e estratégias analíticas. In D. E. Meyer & M. A. Paraiso (orgs.), Metodologias de pesquisa pós-crítica em educação. Mazza Edições.

Sato, L.(2009). Olhar, ser olhado e olhar-se: notas sobre o uso da fotografia na pesquisa em psicologia social do trabalho. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, 12(2).

http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-37172009000200007&lng=pt&tlng=pt.

Silveira, R. M. H. (2007). Entrevista na pesquisa em educação – uma arena de

significados. In M. V. COSTA. Caminhas investigativos II: outros modos de pesquisar e fazer pesquisa em educação. Lamparina.

Spivak, G. C. (2010). Pode o subalterno falar? Editora UFMG.

Veiga-neto, A. (1996) Olhares... In M. V. COSTA (Org.), Caminhos Investigativos I: novos olhares na pesquisa em educação. Lamparina.

Walsh, C. (2010). Estudios (inter)culturalesen clave de-colonial. Tabula Rasa, 12.

https://www.redalyc.org/pdf/396/39617422012.pdf

Woodward, K.(2000). Identidade e diferença: uma introdução teórica e conceitual. In T.T. SILVA (Org), Identidade e diferença. Vozes.




DOI: https://doi.org/10.23925/1983-3156.2020v22i3p609-636

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2021 Educação Matemática Pesquisa : Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

INDEXADORES DA REVISTA
     
             Anti-Plágio