Educação Matemática Pesquisa Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática https://revistas.pucsp.br/index.php/emp <p><a href="https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/management/settings/context//emp"><img src="https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/management/settings/context//public/site/images/portalrevistas/EMP.jpg" alt="" align="left" /></a>ISSN 1983-3156: A revista Educação Matemática Pesquisa, do Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática da PUC-SP, de regularidade quadrimestral, tem o objetivo de constituir-se em um espaço de divulgação científica da área, em âmbito internacional. Há anos vem contribuindo com esse objetivo e, assim, conseguiu reconhecimento internacional. Sendo considerada excelente na área educacional, dissemina temas contemporâneos – presentes em chamadas de trabalhos e agendas investigativas nacionais ou internacionais recentes - além de trazer interessantes e relevantes questões novas, para o desenvolvimento da área. Entre as bases em que é indexada citamos: <a href="http://www.periodicos.capes.gov.br/" target="_blank" rel="noopener"> Portal Periódicos CAPES </a>, <a href="http://ejournals.ebsco.com/home.asp" target="_blank" rel="noopener">EBSCO Publishing,</a><span style="color: black;"><a href="http://www.zentralblatt-math.org/matheduc/" target="_blank" rel="noopener"> Mathematics Education </a>,<a href="http://www.latindex.unam.mx/" target="_blank" rel="noopener"> Latindex </a>, <a href="http://pkp.sfu.ca/ojs-journals" target="_blank" rel="noopener"> PKP-Public Knowledge Project </a>, <a href="http://www.inep.gov.br/pesquisa/bbe-online/default.asp" target="_blank" rel="noopener"> Bibliografia Brasileira de Educação (MEC-INEP) </a>, <a href="https://scholar.google.fr/citations?hl=fr&amp;authuser=1&amp;user=_5Tg-u4AAAAJ">https://scholar.google.fr/citations?hl=fr&amp;authuser=1&amp;user=_5Tg-u4AAAAJ</a> . O projeto editorial da revista prioriza artigos científicos inéditos, da área de Educação Matemática, particularmente os relacionados às linhas de pesquisa do Programa: A Matemática na Estrutura Curricular e Formação de Professores; História, Epistemologia e Didática da Matemática e, também, Tecnologias da Informação e Didática da Matemática.</span></p> <p><span style="color: black;"><strong>Observação</strong>: A revista não cobra taxa para a publicação dos artigos aceitos.</span></p> <p><span style="color: black;"> </span></p> Pontifica Universidade Católica de São Paulo pt-BR Educação Matemática Pesquisa Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática 1516-5388 <span>Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:</span><br /><br /><ol type="a"><ol type="a"><li>Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a <a href="http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/" target="_new">Licença Creative Commons Attribution</a> que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.</li><li>Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.</li><li>Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado (Veja <a href="http://opcit.eprints.org/oacitation-biblio.html" target="_new">O Efeito do Acesso Livre</a>).</li></ol></ol> Editorial do volume 24-3, 2022 https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/59800 Saddo Ag Almouloud Ana Lucia Manrique Copyright (c) 2022 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-10-31 2022-10-31 24 3 001 028 10.23925/1983-3156.2022v24i3p001-028 Ver, perceber, representar, visualizar: uma reflexão sobre o acesso aos objetos matemáticos e sua relação com os modos de pensar na matemática https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/57540 <p>Esse estudo tem por objetivo promover discussões e reflexões sobre a visualização matemática, tomando como base sua relação com a visão, a percepção e a representação. Tal pesquisa foi apoiada pelos estudos do Grupo de Pesquisa em Ensino de Geometria – GPEG, no qual a visualização e suas diferentes compreensões vêm sendo estudadas. O percurso metodológico dessa reflexão teórica se fundamenta em uma pesquisa de natureza exploratória, visando buscar o que há de característico e particular nas concepções analisadas. Portanto, é uma pesquisa de abordagem qualitativa no paradigma interpretativo. Para frutificar esse olhar sobre a visualização, de natureza tão polissêmica, são utilizados como subsídios teóricos as ideias de visão, percepção e representação, que não apenas dão base para o estudo, mas também evidenciam suas diferenciações e aproximações. Uma das questões emergentes nesta pesquisa é: Como agem as representações de um objeto na experiência de sua visualização? Para essa discussão, considera-se a visualização como uma forma de pensamento, ou seja, a visualização é uma forma de pensar dentro da própria matemática. Compreende-se que a correspondência entre essas concepções se desenvolve em torno da atividade matemática, na interpretação do que é visto, na descoberta de novas relações, na representação do que não está ao alcance dos olhos e na concretização dessa atividade matemática.</p> Alessandra Hendi dos Santos Valdeni Soliani Franco José Carlos Cifuentes Copyright (c) 2022 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-10-31 2022-10-31 24 3 029 061 10.23925/1983-3156.2022v24i3p029-061 Análise matemática e olhar didático sobre as fórmulas de Taylor à vista de uma melhor conceitualização https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/56423 <p>As fórmulas de Taylor (Taylor-Young, Taylor-Lagrange e Taylor com resto integral) são objeto de ensino explícito em análise na entrada da universidade e particularmente nas aulas preparatórias aos estudos de engenheiros tunisianos. O objetivo deste artigo é analisar essas fórmulas sob os ângulos matemático e didático. Este trabalho permitiu mostrar a ilusão de transparência dessas fórmulas e revelou suas complexidades sintáticas e semânticas. A análise curricular que realizámos mostrou que estas complexidades não são realmente levadas em conta no programa oficial como no “saber preparado” dos professores.</p> Imed Kilani Rahim Kouki Mohamed Beldi Copyright (c) 2022 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-10-31 2022-10-31 24 3 62 107 10.23925/1983-3156.2022v24i3p062-107 Autenticidade em Atividades de Modelagem Matemática: em busca de um design https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/55507 <p>Este artigo apresenta uma investigação sobre a autenticidade em atividades de modelagem matemática, mediada pela questão: Como caracterizar a autenticidade em atividades de modelagem matemática? A investigação desta questão tem como objetivo estruturar um <em>design </em>para a autenticidade em atividades de modelagem. A pesquisa inclui duas partes. Inicialmente, estrutura-se um <em>design</em> a partir de um quadro teórico relativo a essa temática na área de modelagem matemática, integrando seis atributos que qualificam a autenticidade nessas atividades, podendo conferir a elas maior ou menor nível de autenticidade. A segunda parte consiste em uma pesquisa empírica em que estudantes desenvolvem atividades de modelagem cuja autenticidade é analisada em relação aos atributos. A investigação se caracteriza como pesquisa qualitativa, associando movimentos analíticos por meio dos quais se dá a articulação entre teoria e informações a respeito da autenticidade, usando critérios interpretativos de análise. O <em>design</em> estruturado é inovador em relação ao que a literatura já reconhece quanto à identificação da autenticidade em atividades de modelagem matemática. A análise da atividade de modelagem realizada indica que o <em>design </em>oferece uma maneira eficaz de inferir sobre a autenticidade, apontando que atividades de modelagem autênticas devem ser pautadas em uma realidade extraescolar, ao mesmo tempo em que atendem a anseios de uma realidade escolar.</p> Lourdes Maria Werle Almeida Letícia Barcaro Celeste Omodei Copyright (c) 2022 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-10-31 2022-10-31 24 3 108 144 10.23925/1983-3156.2022v24i3p108-144 Educação matemática como instrumento de empoderamento: https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/56914 <p>O objetivo deste artigo é compreender como a educação matemática atua como instrumento de empoderamento ou de desempoderamento de estudantes e professores, como ela se conecta com o empoderamento e como o empoderamento é discutido no âmbito educacional. Para tal, realizamos um estudo exploratório a partir do mapeamento de produções científicas desenvolvidas em diferentes países da América, Europa, África, Ásia e Oceania. Foram analisados 64 trabalhos entre artigos, dissertações de mestrado e teses de doutorado do Banco Nacional de Teses da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), da <em>Scientific Library Electronic Online</em> (<em>SciELO</em>) e do <em>Google Scholar</em>, no período de 1996 a 2020. Esses trabalhos foram categorizados conforme público-alvo ou foco da pesquisa. A partir dessa organização, identificamos os níveis de escolaridade em que o empoderamento é mais discutido, o que possibilitou fomentarmos reflexões a respeito da necessidade de realizarmos pesquisas sobre essa temática nos níveis com menos discussões. Para a análise interpretativa, apresentação de resultados e levantamento de discussões sobre o tema no âmbito educacional, selecionados dez trabalhos. Os resultados mostraram que a educação matemática pode atuar como instrumento de empoderamento ao reconhecer que o fazer matemático precisa abordar questões sociais e políticas por meio de uma educação libertadora, e que ela pode atuar como instrumento de desempoderamento ao anular ou minimizar o poder criador de estudantes e professores, estimulando sua ingenuidade em detrimento de sua criticidade e satisfazendo os interesses dos grupos dominantes.</p> Mariana dos Santos Cezar Samuel Rocha de Oliveira Copyright (c) 2022 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-10-31 2022-10-31 24 3 145 176 10.23925/1983-3156.2022v24i3p145-176 Perspectivas Teóricas da Educação Matemática https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/58039 <p>A presente pesquisa aborda a educação matemática no que se refere às tendências na área que, nesta pesquisa, se assumem como perspectivas teóricas. O objetivo foi discutir numa comunidade de prática as possibilidades de articulação entre algumas perspectivas teóricas, de forma a vislumbrar a integração entre elas. Para isso, desenvolvemos um percurso de estudo e de pesquisa (PEP) que se apresenta como quadro teórico-metodológico. Tal percurso foi realizado com professores-alunos do curso de pós-graduação, em nível de mestrado, de uma universidade do estado do Pará, na região Norte do Brasil. Evidenciou-se nesta pesquisa que o trabalho colaborativo se faz necessário para se buscar a articulação entre perspectivas teóricas, e as ações colaborativas revelaram que assumir as perspectivas teóricas como contextos da educação matemática favorece as articulações.</p> Aline Silva Messildo Viana Nunes Elielson Ribeiro de Sales Copyright (c) 2022 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-10-31 2022-10-31 24 3 177 218 10.23925/1983-3156.2022v24i3p177-218 Autonomia e insubordinação criativa no ensino de tendências de medida central https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/56367 <p>Este estudo se insere no âmbito de uma investigação mais alargada, nomeadamente uma dissertação de mestrado. No que tange às insatisfações dos professores, uma das queixas recorrentes refere-se aos sistemas de ensino padronizados, que requerem o exercício da autonomia docente para os atos de transgressão e insubordinação criativa, sob a ótica da justiça social, como modos éticos e corajosos de quebrar paradigmas em prol da melhor aprendizagem dos estudantes. Esta pesquisa tem o objetivo de evidenciar as ações de insubordinação criativa de uma professora de matemática, reveladas em sua prática docente com alunos do 8.<sup>o</sup> ano do ensino fundamental de uma escola do município de Niterói, Rio de Janeiro, diante de uma intervenção didática com o uso da educação estatística. Para atingir esse objetivo, realizou-se um estudo de caso com a professora sobre seus comportamentos frente à elaboração e o desenvolvimento da sequência didática que ela aplicou aos alunos. A análise dos resultados foi baseada nas entrevistas realizadas com a professora e nos documentos sobre os instrumentos disponibilizados, a saber, o material didático da escola e a dissertação da professora. Dos resultados, ressaltamos a relevância dada à incerteza da matemática e a forma como a professora interpretou, discordou, refletiu e reorganizou a situação de maneira habilidosa e em favor da melhor aprendizagem dos seus estudantes, o que evidenciam ações de insubordinação criativa.</p> Daniella Assemany Heloísa Figueiredo Copyright (c) 2022 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-10-31 2022-10-31 24 3 219 246 10.23925/1983-3156.2022v24i3p219-246 A hermenêutica filosófica como propulsora de metodologia de pesquisa histórico-filosófica em educação matemática https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/56320 <p>Este artigo tem a intenção de expor e fundamentar um caminho investigativo histórico-filosófico inspirado na hermenêutica filosófica a pesquisadores da região de inquérito da educação matemática, que sejam desafiados por interrogações cuja abrangência e profundidade vislumbrem uma imersão em uma tradição cultural reveladora da constituição de conhecimento da matemática ou de conhecimento da educação matemática na perspectiva da temporalidade e historicidade daquilo que a interrogação norteadora interroga. Para atingir o nosso intento, num primeiro momento, descreveremos a hermenêutica filosófica, expondo os traços fundamentais, dos quais emergem articulações que vão compor a rede de sustentação histórico-filosófica, além de ressignificar alguns conceitos filosóficos já incorporados nessa tradição. A apresentação da fundamentação é fundamental para a compreensão dos conceitos da hermenêutica filosófica que serão retomados a seguir, ao explicitarmos a conversão desses em um modo histórico-filosófico de pesquisar, já praticado por pesquisadores da Educação Matemática em situações hermenêuticas de pesquisa. A metodologia de pesquisa é explicitada por meio de exemplos de pesquisa que buscam o pensar que se revela na construção do conhecimento das estruturas da álgebra e por diretrizes didáticas ao se trabalhar com demonstrações matemáticas na educação básica.</p> Verilda Speridião Kluth Copyright (c) 2022 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-10-31 2022-10-31 24 3 247 278 10.23925/1983-3156.2022v24i3p247-278 A Matemática no currículo de Nutrição https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/57113 <p>Este artigo tem como objetivo analisar os aspectos matemáticos do processo formativo do nutricionista e investigar os conhecimentos implícitos e explícitos nos textos das Diretrizes Curriculares Nacionais e do currículo do curso de graduação em nutrição de uma universidade federal brasileira. Assim, propõe-se responder à questão sobre quais são os contextos em que a matemática está presente e contribui para a formação dos nutricionistas mediante os documentos que regulamentam o curso. A pesquisa é qualitativa com respaldos numéricos, do tipo documental, com o emprego da técnica de análise de conteúdo, de Bardin. Foram identificadas cinco categorias: cálculos algébricos dietéticos e antropométricos; cidadania e criticidade; economia; estatística; probabilidade. Todavia, os resultados apontam a ausência da indicação explícita da matemática nas diretrizes, o que contraria sua vasta utilização como ferramenta indispensável para a compreensão de diversos conceitos desenvolvidos no curso de nutrição. Apesar da presença da bioestatística, identifica-se no currículo a inexistência de disciplinas que revisem ou introduzam a álgebra e o cálculo diferencial.</p> Débora Danielle Alves Moraes Priebe Karly Barbosa Alvarenga Copyright (c) 2022 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-10-31 2022-10-31 24 3 279 322 10.23925/1983-3156.2022v24i3p279-322 Integração STEM na Educação Básica veiculada por atividades de modelagem matemática com experimentação https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/58383 <p>Este artigo investiga como a educação STEM é mobilizada no desenvolvimento de atividades de modelagem matemática com experimentação. Para isso, fundamentou-se em um quadro teórico que considera elementos da experimentação, da modelagem matemática e da integração da educação STEM. As atividades analisadas foram desenvolvidas por três grupos de alunos de uma turma de 9º ano do ensino fundamental de uma escola particular do estado do Paraná, na disciplina de matemática, no ano de 2018. Nas referidas atividades, os alunos, reunidos em grupos, escolheram a temática da experimentação a ser realizada, definiram um problema, coletaram dados empíricos, realizaram uma abordagem matemática e obtiveram uma solução para o problema. Para realizar as análises, utilizaram-se as gravações em áudio e vídeo e os registros escritos dos relatórios entregues pelos alunos. Por meio de análise qualitativa, inspirada na <em>research design</em>, evidenciou-se que a experimentação se configurou como uma estrutura que permitiu a integração entre as áreas STEM por meio de estudos e pesquisas sobre os fenômenos estudados, da manipulação de <em>softwares</em> para ajustes de curvas, do uso de equipamentos laboratoriais e suas implicações para a experimentação realizada, e dos conteúdos matemáticos necessários para a obtenção de uma solução para o problema.</p> Karina Alessandra Pessoa da Silva Paulo Henrique Hideki Araki Adriana Helena Borssoi Copyright (c) 2022 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-10-31 2022-10-31 24 3 323 354 10.23925/1983-3156.2022v24i3p323-354 Significados e sentidos atribuídos à prática escolar por alunos concludentes de graduação em matemática: https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/55109 <p>O artigo apresenta os resultados de um estudo realizado com alunos brasileiros e colombianos do último semestre de um curso de matemática, cujo objetivo foi descrever e analisar os significados e sentidos atribuídos à prática escolar em relação ao ensino e aprendizagem da matemática. Foi implementada uma metodologia qualitativa com abordagem fenomenológica e escolhido um grupo focal. A análise das falas dos participantes foi baseada nas contribuições teóricas e procedimentais da análise de conteúdo (Bardin, 1977) e do método descritivo fenomenológico científico (Giorgi, 2008), o que permitiu a construção de seis categorias, a saber: papel do professor na prática escolar, significados atribuídos ao planejamento, ensino, aprendizagem e avaliação; situações emergentes que dificultam a prática escolar, os recursos didáticos, as atividades lúdicas e a mediação tecnológica na prática escolar; ensino contextualizado da matemática; e importância de conhecer o aluno em suas dimensões cognitiva, afetiva e sociocultural. Essas categorias emergentes dos discursos dos egressos representam a estrutura essencial do fenômeno investigado e constituem subsídios para motivar a reflexão sobre os significados, sentimentos e ações dos professores em formação inicial no que diz respeito aos processos de ensino e aprendizagem da matemática, considerando os desafios e complexidades do ensino nesta sociedade globalizada e com passos cada vez mais acelerados nas esferas social, ambiental e tecnológica, que impactam os processos educacionais.</p> Gustavo Javier Daza-Damian Romélia Mara Alves Souto Copyright (c) 2022 Educação Matemática Pesquisa : Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-10-31 2022-10-31 24 3 355 392 10.23925/1983-3156.2022v24i3p355-392 Perfil e produção científica dos bolsistas de produtividade em pesquisa do CNPq atuantes na Educação Matemática https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/58706 <p>Neste artigo objetivamos analisar o perfil e a produção científica dos pesquisadores com bolsa de produtividade em pesquisa do CNPq atuantes na educação matemática no ano vigente de 2021. Consideramos o seguinte problema investigativo: Qual o perfil e produção científica dos bolsistas de produtividade em pesquisa do CNPq atuantes na educação matemática? Para os 37 bolsistas identificados, consideramos as variáveis tempo de doutorado; liderança em grupos de pesquisa e linhas de pesquisa; orientações concluídas; produção bibliográfica e veículos de divulgação. Os aportes teórico-metodológicos vinculam-se a literatura específica da educação matemática, as normas/resoluções do CNPq e da bolsa de produtividade (PQ), e a pesquisa descritiva de levantamento com abordagem comparativa e quali-quantitativa. Para produção de dados, consultamos informações dos bolsistas no CNPq, Currículo Lattes e Diretório dos Grupos de Pesquisa no Brasil. Os principais resultados revelaram que o tempo de obtenção do doutorado dos bolsistas varia entre 9 a 48 anos, sendo a média 19 anos; a maioria dos bolsistas possui liderança em grupos de pesquisa e pluralidade nas linhas de pesquisa; a formação de recursos humanos de doutorado foi realizada na maior parte pelos bolsistas 1 (A, B e C) e de mestrado pelos bolsistas 1C e 2; as produções científicas de maior destaque foram trabalhos completos em anais (3.514) e artigos publicados em periódicos (3.267); e a divulgação dos artigos foi realizada em 618 periódicos diferentes com predomínio pelos nacionais (449). Entrelaçamentos entre nossa pesquisa e o produtivismo acadêmico evocaram estudos vindouros.</p> CARLOS ALEX ALVES LEANDRO LONDERO DA SILVA Copyright (c) 2022 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-10-31 2022-10-31 24 3 393 429 10.23925/1983-3156.2022v24i3p393-429 Encontros e Desencontros com a Matemática no Percurso Formativo de Estudantes do Curso de Pedagogia https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/58834 <p>Esta pesquisa é um estudo de abordagem qualitativa que discute as mudanças das visões de estudantes de pedagogia sobre a matemática na sua trajetória formativa, a partir dos momentos experienciados na graduação. Analisam-se os encontros e desencontros com a matemática vivenciados pelas nove estudantes do curso de pedagogia da Universidade do Estado da Bahia, <em>Campus</em> XII, durante os processos formativos na educação básica e na universidade. Identificam-se contribuições das vivências de um componente curricular desse curso e de um grupo de estudos, que mudaram o olhar das estudantes sobre a matemática. Os dados da investigação foram produzidos por meio de questionário, narrativas escritas e orais, e diário de campo reflexivo das pesquisadoras. Foram analisados através da análise de conteúdo (Bardin, 2011). Neste estudo, compreender as concepções, os encontros e os desencontros que permeiam os processos de ensino e aprendizagem da matemática é proporcionar aos(às) professores(as) que ensinam (ou ensinarão) essa disciplina reflexões acerca de como os(as) estudantes a concebem em sua trajetória formativa. Os achados da pesquisa revelam mudanças no modo como as estudantes da pedagogia veem a matemática. Suas vivências de estratégias metodológicas diversificadas na graduação possibilitaram-lhes refletir criticamente sobre as lacunas que, na sua trajetória formativa de estudantes-futuras professoras, deixaram marcas, medos e angústias nos processos de ensino e aprendizagem de conceitos e conteúdos matemáticos, os quais precisam ser repensados nas ações pedagógicas.</p> Sandra Alves de Oliveira Elizete Pereira das Neves Carvalho Milane Silva Santana Ribeiro Sônia Maria Alves de Oliveira Reis Copyright (c) 2022 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-10-31 2022-10-31 24 3 430 463 10.23925/1983-3156.2022v24i3p430-463 Perspectivas de Interdisciplinaridade explicitadas em Projetos Pedagógicos de Cursos de Licenciatura em Matemática em Universidades Públicas Brasileiras https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/58811 <p>Neste artigo analisamos e discutimos perspectivas de interdisciplinaridade presentes nos projetos pedagógicos de cursos (PPC) de licenciatura em matemática em universidades públicas do Brasil. Utilizamos uma revisão sistemática, do tipo metassíntese, a partir de cinco estudos regionais, publicados em e-book resultante de uma pesquisa nacional que apresenta e discute o conteúdo dos PPC de cursos que se adequaram à Resolução CNE/CP 02/2015. A metassíntese consistiu em duas etapas, a primeira constituída de pequenas sínteses interpretativas que buscaram identificar e categorizar as conceituações e formas de implementação da interdisciplinaridade. A segunda consistiu numa síntese integrativa das três perspectivas identificadas, de forma a obter um panorama nacional. Os resultados apontam que dos 105 cursos analisados pelos autores dos cinco artigos presentes no livro, apenas seis PPC apresentam indícios de uma perspectiva de formação PELA interdisciplinaridade, a qual visa propiciar aos futuros professores de matemática oportunidades para “vivenciar” e “exercitar” propostas interdisciplinares. Diante da importância desta perspectiva interdisciplinar na formação de professores de matemática, o cenário apresentado se mostra preocupante, e novas pesquisas podem ser necessárias para compreender os efeitos após as reformulações previstas na Resolução CNE/CP 02/2019, na qual a interdisciplinaridade é pouco definida e citada.</p> Eliane Matesco Cristovão Fabiana Fiorezi de Marco Bruna da Rosa Santos Lóren Grace Kellen Maia Amorin Copyright (c) 2022 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-10-31 2022-10-31 24 3 464 500 10.23925/1983-3156.2022v24i3p464-500 O Jogo de Xadrez e sua relação com os processos de ensino e aprendizagem https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/58548 <p>Este artigo tem o escopo de apresentar uma revisão integrativa de literatura, com vistas a apresentar pesquisas que tratam de o jogo de xadrez e a sua relação com os processos de ensino e aprendizagem escolar. Destarte, esta revisão utilizou-se das bases de dados ERIC; Portal CAPES; <em>SciELO</em>, <em>Scopus Elzevier, Web of Science </em>e a Biblioteca Brasileira de Teses e Dissertações, visando à coleta de dados. Foram incluídos na amostra artigos e dissertações de mestrado publicadas entre os anos de 2012 e 2021. Nenhuma tese de doutorado sobre o tópico foi encontrada no período. Atento aos critérios de inclusão, obtiveram-se seis artigos e vinte e uma dissertações que atenderam ao tema desta pesquisa: xadrez, ensino e aprendizagem em ambientes formais. Conquanto tenham vários estudos que envolvem o xadrez na escola, pesquisas que se propõem a construir uma abordagem pedagógica para o xadrez não são comuns. Esse fator indica a essencialidade de se analisar que o xadrez deve ser planejado, refletido, avaliado e sistematizado pedagogicamente, tendo em vista os processos de aprendizagem.</p> Adriana Soely André de Souza Melo Sérgio Luiz Malta de Azevedo Rogério de Melo Grillo Copyright (c) 2022 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-10-31 2022-10-31 24 3 501 525 10.23925/1983-3156.2022v24i3p501-525 Generalização de padrões e tecnologias digitais https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/51767 <p>Este artigo traz os resultados de uma pesquisa, baseada em um experimento didático, que teve como sujeitos um grupo de alunos do nono ano do ensino fundamental. O estudo teve como tema a generalização de padrões e previu a realização de sessões para resolução de problemas que tinham como parte da estratégia o emprego de tecnologias, inclusive de caráter digital, com destaque para o software GeoGebra. Assim, a investigação assumiu um caráter qualitativo, com um delineamento suportado pelos conceitos da engenharia didática. Em termos teóricos, a investigação encontrou sustentação na teoria das situações didáticas e nos autores relacionados à temática central, como Dreyfus, Zazkis e Mason. As interações entre as duplas formadas para resolução dos problemas evidenciaram que a estratégia didática planejada proporcionou que os sujeitos refletissem sobre as propostas abordadas, provendo soluções matematicamente válidas para as atividades, com o recurso a um conjunto de tecnologias disponíveis, digitais e não digitais, em convergência.</p> Gerson Pastre Oliveira Marcos Lopes de Oliveira Copyright (c) 2022 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-10-31 2022-10-31 24 3 526 557 10.23925/1983-3156.2022v24i3p526-557 Lugar de mulher é... também na matemática https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/59205 <p>Nesta pesquisa busca-se compreender como a educação matemática crítica pode contribuir à compreensão da presença da mulher na matemática, bem como à democratização desse espaço de conhecimento. Para tanto, realizou-se uma investigação fenomenológica. Foram analisados projetos pedagógicos de curso de licenciatura em matemática e entrevistas realizadas com mulheres, pesquisadoras e professoras da área da matemática. O movimento de análise mostrou três núcleos de compreensão, os quais expõem que a educação matemática Ccrítica pode contribuir para o rompimento de concepções enraizadas sobre a mulher, mostrando-se como solo teórico e prático com o qual se faz pertinente a discussão da temática, propondo em sala de aula investigações a partir das quais se possa conhecer os motivos pelos quais as mulheres, em contexto contemporâneo, compõem e são consideradas minoria em espaços de produção, de ensino e de aprendizagem de conhecimento matemáticos e de outros, relacionados às ciências e tecnologias digitais.</p> Erica Laiza Gomes Marques José Milton Lopes Pinheiro Copyright (c) 2022 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-10-31 2022-10-31 24 3 558 590 10.23925/1983-3156.2022v24i3p558-590 Movimentos Identitários de Professores no Contexto de Pandemia https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/57963 <p style="margin: 0cm; text-align: justify; line-height: 200%;">Nesta pesquisa de abordagem qualitativa e interpretativa, analisam-se os movimentos identitários de duas professoras de matemática da educação básica de uma instituição pública do sul do Espírito Santo (ES). O estudo está baseado nas componentes do autoconhecimento e na definição de identidade com enfoque na docência. Através de entrevistas semiestruturadas, realizadas em 2019 e depois, em 2021, durante a pandemia, notou-se que o fato de as professoras lecionarem matemática em uma mesma escola não assegurou ideias e atitudes similares. Verificou-se que elas produziram variações em suas perspectivas, uma vez que são indivíduos distintos e que o mesmo contexto não garante igual profissionalidade, embora possa estimular que elas reflitam sobre os modos de ser e estar na docência. Conclui-se, então, que aspectos do autoconhecimento e da identidade profissional de ambas foram se modificando e transformando a partir de suas vivências individuais e coletivas tanto em seu ambiente escolar quanto no contexto social, cultural e econômico de cada uma.</p> Carla Carla da Silva Eliodorio Mateus Boneli Velten Thiarla Xavier Dal-Cin Zanon Copyright (c) 2022 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-10-31 2022-10-31 24 3 591 611 10.23925/1983-3156.2022v24i3p591-611 O que Fazer no Trabalho de Conclusão de Curso? Analisando Escolhas dos Licenciandos em Matemática https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/58902 <p>O artigo apresenta-se na temática da formação inicial de professores, no desenvolvimento das tarefas de estudo da docência, sobretudo, relacionado ao trabalho de conclusão de curso. Tem-se como questão de pesquisa a seguinte indagação: quais os motivos que sustentam as escolhas dos licenciandos em matemática pela temática e desenvolvimento do trabalho de conclusão de curso? Conexo ao problema, apresenta-se o objetivo de analisar os motivos que justificam as escolhas dos licenciandos na produção desse trabalho. O texto fundamenta-se com base na teoria histórico-cultural com destaque nos princípios psicológicos e didáticos da teoria da atividade, no desenvolvimento dos motivos e sentidos pessoais diante das significações sociais da formação inicial. A metodologia desenvolve-se por meio de uma intervenção pedagógica formativa realizada com dois sujeitos dessa licenciatura. A produção dos dados tem referente empírico nas transcrições de entrevistas e momentos de orientações coletivas para o desenvolvimento do trabalho acadêmico materializado em formato de artigo. A análise é realizada na perspectiva do materialismo histórico-dialético, que demonstra resultados por meio dos motivos criadores de sentido pelos estudantes sobre suas vivências e experiências no desenvolvimento da formação inicial, sobretudo durante os processos formativos ao longo da graduação. Além desses casos, também foram observados o convencimento dos pares, demonstrando relações sobre as orientações teórico-metodológicas/ideológicas em suas percepções acerca da atividade pedagógica nas intervenções realizadas.</p> Bruno Silva Silvestre Maria Marta da Silva Wellington Lima Cedro Copyright (c) 2022 https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-10-31 2022-10-31 24 3 612 636 10.23925/1983-3156.2022v24i3p612-636