O impacto das atividades em grupo como estratégia de promoção da saúde na senescência

Autores

  • Cléria Bittar
  • Lara Carvalho Vilela de Lima

DOI:

https://doi.org/10.23925/2176-901X.2011v14i3p101-118

Palavras-chave:

Grupos de Idosos, Promoção de Saúde, Qualidade de Vida.

Resumo

O objetivo deste trabalho foi conhecer a percepção de dois grupos de idosos sobre o impacto que a participação/não participação em atividades teve sobre sua saúde e qualidade de vida. Foram realizadas 20 entrevistas com dois grupos de idosos; no primeiro grupo, denominado Grupo-Participante (GP) 10 idosos de ambos os sexos participaram do grupo da terceira idade, um projeto denominado “Envelhecimento Saudável”, em que são realizadas várias atividades físicas e de socialização, e com outros 10 sujeitos - do Grupo Não-Participante (GNP), que não aderiram ao projeto. Comparamos as respostas dos dois grupos e concluímos que os idosos do GP relatavam melhor qualidade de vida, saúde e disposição para formação de vínculos sociais. Em relação aos sujeitos do GNP, buscamos conhecer suas justificativas e motivos para a não adesão ao projeto. Estes ainda relataram perceber mudanças significativas naqueles que participavam, entendendo que o grupo era a possibilidade de melhorar autoestima, saúde e qualidade de vida. Concluímos que as ações em grupo, visando aos princípios que norteiam as premissas da promoção da saúde, podem criar um espaço de trocas e vivências, restabelecendo as condições necessárias para que os idosos possam ter uma vida mais plena, com qualidade de vida e bem-estar.

Biografia do Autor

Cléria Bittar

Psicóloga. Doutora em Serviço Social. Docente do Programa de Mestrado e Doutorado em Promoção de Saúde pela Universidade de Franca- UNIFRAN.

Lara Carvalho Vilela de Lima

Fisioterapeuta. Especialista em Fisioterapia na área de Geriatria e Gerontologia-Doutoranda em Promoção de Saúde pela Universidade de Franca- UNIFRAN.

Downloads

Publicado

2012-06-28

Edição

Seção

Artigos