A percepção da velhice por jovens militares

Autores

  • Tatiana Mangetti Gonçalves Muenzer
  • Vicente Paulo Alves

DOI:

https://doi.org/10.23925/2176-901X.2011v14i3p131-141

Palavras-chave:

Envelhecimento, Jovem, Percepção.

Resumo

O processo de envelhecimento envolve diferentes percepções. Dessa forma, o estudo teve como objetivo analisar a visão de jovens militares entre 18 e 23 anos de idade e a possível correlação com a existência ou não de preconceitos sobre o envelhecimento, a velhice e o idoso. Os dados mostraram que os jovens militares moram com alguma pessoa idosa em casa (20%), poucos tiveram educação gerontológica (46,6%), outros têm esperança de continuarem a sentir-se bem consigo mesmos(as), independentemente da idade (53,3%). Além disso, veem nos idosos atitudes positivas diante da vida. Mas, infelizmente, a falta de informação pode criar estereótipos negativos sobre a velhice que precisam ser vencidos mediante uma educação voltada para o envelhecimento, aliada à formação rígida militar, dando destaque positivo a esse processo que faz parte da vida de todas as pessoas.

Biografia do Autor

Tatiana Mangetti Gonçalves Muenzer

Fisioterapeuta. Mestranda do Programa de Pós-Graduação Stricto-Sensu de Gerontologia da Universidade Católica de Brasília.

Vicente Paulo Alves

Cientista da Religião e professor do Programa de Pós-Graduação Stricto-Sensu de Gerontologia da Universidade Católica de Brasília.

Downloads

Publicado

2012-06-28

Edição

Seção

Artigos