População idosa no sistema penitenciário: um olhar por trás das grades

Autores

  • Hércules de Oliveira Carmo
  • Claudia Lysia de Oliveira Araújo

DOI:

https://doi.org/10.23925/2176-901X.2011v14i4p183-194

Palavras-chave:

Idoso, Sistema Penitenciário, Enfermagem.

Resumo

Este trabalho trata de uma realidade presente neste século, e que está demandando atenção, principalmente no âmbito de saúde pública e direitos humanos — a do idoso-detento. Uma problemática complexa que se colocou para nossa reflexão  que é a da pessoa que, além de ser idosa, é detenta e na maior parte das vezes em sofrimento, decorrente de uma condição patológica, ligada a fatores orgânicos, mentais e subjetivos que, na velhice, se agudiza. Sem o devido acompanhamento pelas políticas públicas, essas realidades não previstas e, que ora ganham uma maior complexidade no contexto prisional, revelam o aumento de HIV/AIDS, a presença de DSTs, o aumento da depressão e doenças neuropsíquicas. As questões que se colocam nesta investigação, a que se tentou aqui responder, podem ser assim subsumidas: - Como pensar as práticas de enfermagem diante da questão do crescente aumento da população idosa com suas patologias ainda mais complexizadas no ambiente prisional? Objetivou, pois, este estudo: (i) investigar a presença crescente de idosos no sistema penitenciário brasileiro, com base na literatura existente; (ii) verificar os fatores potenciais de risco quanto à saúde da população idosa, no sistema prisional brasileiro, e o peso da presença de uma equipe de enfermagem nesse contexto. Imperiosa atenção, portanto, a nosso ver, faz-se exigir dos profissionais de saúde, das autoridades e da sociedade civil para a complexidade dessa velhice silenciada por trás das grades.

Biografia do Autor

Hércules de Oliveira Carmo

Enfermeiro da Prefeitura Municipal de Guaratinguetá (SP). Aluno de Pós-Graduação em Envelhecimento e Saúde da Pessoa Idosa, pela Fiocruz em EAD.

Claudia Lysia de Oliveira Araújo

Graduação em Enfermagem e Obstetrícia. Especialista em Enfermagem do Trabalho. Mestre em Enfermagem-Faculdades de Ciências Médicas/Unicamp. Doutoranda em Enfermagem na Saúde do Adulto, da Escola de Enfermagem da USP. Professora Titular, das Faculdades Integradas Teresa D'Ávila, Lorena (SP).

Downloads

Edição

Seção

Relato de Experiência