Psicoeducação para idosos hipertensos: exemplo de metodologia aplicada

Thaís Bento Lima-Silva, Mônica Sanches Yassuda

Resumo


Pretendeu-se testar a eficácia de intervenção de oito sessões sobre conhecimentos e atitudes a respeito da hipertensão arterial. Participaram 64 idosos que se declararam como hipertensos; 35 participaram do grupo experimental (GE) e 29 do grupo controle (GC). Participantes do GC receberam treino após o pós-teste. O protocolo utilizado conteve questionários que incluíram dados sociodemográficos e clínicos, medidas de pressão arterial, Questionário de Conhecimento sobre a Hipertensão (QCH), e um questionário sobre atitudes, e conscientização, a respeito de medicamentos anti-hipertensivos. O GE apresentou maior conhecimento acerca da hipertensão, atitudes mais positivas e melhor conscientização em relação ao uso dos fármacos anti-hipertensivos, quando comparado ao GC após a intervenção. Não houve diferença quanto aos valores de PA após a intervenção. Documentou-se a aplicabilidade da psicoeducação aliada ao treino cognitivo para contribuir com o manejo de condições crônicas de saúde em idosos.

Palavras-chave


Idosos; Hipertensão; Educação; Cognição

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/2176-901X.2012v15iEspecial13p373-392

Kairós está indexada em:

Bases de dados e Repositórios de periódicos com texto completo:


Catálogo de Bibliotecas:

Bibliotecas:

Diretório de Políticas Editoriais:

Associada:

ISSN 2176-901X

A Revista Kairós e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em http://revistas.pucsp.br/kairos. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em http://revistas.pucsp.br/kairos.