A Morte Cansada na visão do cineasta Fritz Lang

Luciana Helena Mussi, Beltrina Côrte, Salvador Antonio Mireles Sandoval

Resumo


Este trabalho estuda a finitude no contexto do envelhecimento por meio do filme A Morte Cansada do cineasta Fritz Lang. Discute a visão do cineasta, especialmente a existência humana, tendo como eixo condutor uma reflexão sobre envelhecimento e morte, questões intrinsecamente ligadas ao tema do sentido da vida, remetendo às discussões sobre a imortalidade da alma e a existência de Deus. Neste filme Lang apresenta a história das três luzes: tentativas de esperança, conflitos sobre o amor, a conquista da vida e a aceitação da morte. A investigação realizada mostra que a arte que se faz através do cinema contribui na compreensão do caráter finito da vida, uma questão complexa na velhice, a constante busca de respostas para as inquietudes do que seja o morrer, o que representa para o velho ser definitivamente um ser finito.

 


Palavras-chave


Morte; Envelhecimento; Cinema.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/2176-901X.2014v17i3p95-110

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Kairós está indexada em:

Bases de dados e Repositórios de periódicos com texto completo:


Catálogo de Bibliotecas:

Bibliotecas:

Diretório de Políticas Editoriais:

Associada:

ISSN 2176-901X

A Revista Kairós e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em http://revistas.pucsp.br/kairos. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em http://revistas.pucsp.br/kairos.