VEZ E VOZ NA LINGUAGEM: O SUJEITO SOB O EFEITO DE SUA FALA SINTOMÁTICA

Autores

  • Maria Francisca Lier-DeVitto
  • Suzana Carielo da Fonseca
  • Rosana Landi

DOI:

https://doi.org/10.23925/2176-901X.2007v10i1p%25p

Resumo

“Vez e voz na linguagem” é expressão que refere a condição na qual o sujeito falante supõe poder controlar a própria fala. Este texto procura problematizar a inversão imaginária produzida pela presença de sintoma na fala, numa reflexão que coloca em cena o efeito “social” – de marginalização/isolamento – que se produz na escuta do outro e o efeito de “destituição subjetiva” – de perda de vez e voz – que se produz na escuta do próprio falante. Afasias e demências – quadros clínicos que incidem na velhice – são discutidas de um ponto de vista lingüístico e são traçadas diferenças relativas às manifestações sintomáticas e seus efeitos subjetivos. Nessa perspectiva é que se apresentam, de um lado, a “clínica de linguagem” como espaço de tomar a vez e a voz e, de outro lado, o de “centros de convivência” como espaços privilegiados de inclusão social. Palavras-chave: afasia; demência; linguagem.

Downloads

Edição

Seção

Artigos