A CRISE CRIATIVA NO MORRER: A MORTE PASSA APRESSADA NA PÓS-MODERNIDADE

Clarissa De Franco

Resumo


A pós-modernidade pauta-se no tempo como o grande controlador do amanhã. A ilusão de infinitude, endossada pelos avanços biomédicos e pela indústria da eterna juventude, tenta conter a angústia da incerteza, e a morte, apesar de certa, não nos dá tantos avisos (será?) quanto gostaríamos. O “morrer” sofre com a pressa moderna, já que os rituais em torno da morte estão empobrecidos, simbolicamente, evitando-se cada vez mais um contato profundo com essa fase da vida. Em conseqüência, a morte deixa de ser um “ato social”, partilhado pela comunidade – como foi durante séculos –, passando para o âmbito privado, algo a ser vivenciado solitariamente. Como aponta o sociólogo Norbert Elias, os idosos foram, durante as últimas décadas do século XX, vistos como representantes vivos da morte. Por esse motivo, sua exclusão servia à sociedade pela insuportável possibilidade de contato com a finitude. Atualmente, com o aumento da expectativa de vida, a chamada terceira idade não mais é associada diretamente à idéia de morte, portanto, abriu-se um campo de possibilidades mais inclusivas a esse setor, mas que ainda funcionam dentro da lógica de negação da morte. A morte deve representar à vida uma possibilidade de tomada de consciência de nosso processo existencial e não o marcador do fim da linha. Deve ser uma aliada e não uma adversária.
Palavras-chave: morte; idoso; temporalidade.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/2176-901X.2007v10i1p%25p

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Kairós está indexada em:

Bases de dados e Repositórios de periódicos com texto completo:


Catálogo de Bibliotecas:

Bibliotecas:

Diretório de Políticas Editoriais:

Associada:

ISSN 2176-901X

A Revista Kairós e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em http://revistas.pucsp.br/kairos. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em http://revistas.pucsp.br/kairos.