Economia da Longevidade, Gerontecnologia e o complexo econômico-industrial da saúde no Brasil: uma leitura novo- desenvolvimentista

Autores

  • Jorgemar Soares Felix Ciências Sociais, PUC-SP, professor-convidado de Economia da Longevidade, Universidade de São Paulo, no mestrado em Gerontologia (stricto sensu) da Escola de Artes, Ciências e Humanidades, EACH. Professor de Economia Política no curso de pós-graduação (lato sensu) Mídia, Política e Sociedade, Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, FESP-SP.

DOI:

https://doi.org/10.23925/2176-901X.2018v21i1p107-130

Palavras-chave:

Gerontecnologia, Saúde, Política Industrial, Novo-Desenvolvimentismo, Economia da Longevidade.

Resumo

Este artigo analisa os conceitos de “complexo econômico-industrial da saúde” (Gadelha, 2006) e de “Economia da Longevidade” (Felix, 2007), com a intenção de estabelecer seus pontos de intersecção no que diz respeito a uma política industrial, focada nos setores de saúde e cuidados de longa duração para idosos. Defende-se que, diante do envelhecimento populacional, esses setores são estratégicos na concorrência global e na inserção internacional do Brasil. Dentro de uma perspectiva marxiano-schumpteriano-cepalina, apresenta-se a proposta de construção de um complexo econômico-industrial da saúde e do cuidado. À luz da Teoria Novo-desenvolvimentista, analisam-se as limitações e possibilidades macroeconômicas de implementação dessas estratégias industriais no Brasil.

 

Biografia do Autor

Jorgemar Soares Felix, Ciências Sociais, PUC-SP, professor-convidado de Economia da Longevidade, Universidade de São Paulo, no mestrado em Gerontologia (stricto sensu) da Escola de Artes, Ciências e Humanidades, EACH. Professor de Economia Política no curso de pós-graduação (lato sensu) Mídia, Política e Sociedade, Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, FESP-SP.

Doutor (Ph.D) em Ciências Sociais, PUC-SP, Mestre em Economia Política, PUC-SP. Bacharel em Comunicação Social, Jornalismo, UGF. Criou o Centro de Estudos da Economia da Longevidade, um think-tank sobre envelhecimento populacional. Atualmente é professor-convidado de Economia da Longevidade, Universidade de São Paulo, no mestrado em Gerontologia (stricto sensu) da Escola de Artes, Ciências e Humanidades, EACH. Professor de Economia Política no curso de pós-graduação (lato sensu) Mídia, Política e Sociedade, Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, FESP-SP.

 

Downloads

Publicado

2018-03-30

Edição

Seção

Artigos