Pandemia COVID-19: Perfil de um grupo de pessoas idosas brasileiras participantes de uma pesquisa abrangendo América Latina e Caribe

Autores

  • Ruth Gelehrter da Costa Lopes Graduada em Psicologia, PUC-SP. Mestrado em Psicologia Social, PUC-SP. Doutora em Saúde Pública, USP. Professora no Curso de Psicologia da Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde (FACHS), da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Supervisora na Clínica Psicológica “Ana Maria Popovic”. Líder do Núcleo de Estudo e Pesquisa do Envelhecimento, PUC-SP.
  • Beltrina Côrte Graduada em Jornalismo, Especialização e Mestrado em Planejamento e Administração do Desenvolvimento Regional, Doutorado e Pós-Doc em Ciências da Comunicação, USP. Docente da Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Pesquisadora do Núcleo de Estudo e Pesquisa do Envelhecimento. Coordenadora do Grupo de Pesquisa Longevidade, Envelhecimento e Comunicação. Atua na área da Gerontologia, com concentração em Gerontologia Social, e na divulgação científica com o Web site Portal do Envelhecimento, Revista Portal de Divulgação, editora Portal Edições e Espaço Longeviver. Integra desde 2005, a Rede Iberoamericana de Psicogerontologia (REDIP).
  • Flavio Morgado Bacharel em Matemática, Fundação Santo André. Mestre em Administração (2002) e Doutor em Comunicação e Semiótica (2008), PUC-SP. É professor e pesquisador da PUC-SP (Ética para Computação, Empreendedorismo, Ciência de Dados, na graduação, e Gestão em Saúde no Mestrado em Educação nas Profissões da Saúde da PUC-SP). Pesquisador do NEPE/PUC-SP. Experiência profissional em Melhoria de Processos e Desenvolvimento de Sistemas.
  • Maria Elisa Gonzalez Manso Maria Elisa Gonzalez Manso – Pós-Doutora em Gerontologia Social, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, PUC-SP. Doutora em Ciências Sociais, PUC-SP. Mestra em Gerontologia Social, PUC-SP. Doutoranda em Investigación Gerontológica, UMAI BsAs, Argentina. Graduada em Medicina. Bacharel em Direito. Pós-Graduação em Psicogerontologia. Docência na Saúde, Administração em Serviços de Saúde e Administração de Empresas. Atualmente é Professora Titular do Curso de Medicina do Centro Universitário São Camilo, desempenhando funções no Núcleo Docente Estruturante do mesmo curso. Professora convidada da Cogeae/PUC-SP e do Espaço Longeviver, para cursos na área do envelhecimento. Pesquisadora do grupo de pesquisa CNPq-PUC, Núcleo de Estudo e Pesquisa do Envelhecimento. Membro da Red Interdisciplinaria de Psicogerontología (REDIP). E-mail:
  • Vera Brandão Pedagoga, USP. Mestrado e Doutorado em Ciências Sociais, Antropologia, PUC-SP. Pós-Doutorado em com concentração em Gerontologia Social, PUC-SP. Pesquisadora do Núcleo de Estudo e Pesquisa do Envelhecimento, PUC-SP. Editora da Revista Longeviver [on-line].
  • Flamínia Manzano Moreira Lodovici Linguista. Mestrado (LAEL/PUC-SP) e Doutorado (IEL/Unicamp). Filiada à Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde, FACHS, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e à Faculdade de Filosofia, Comunicação, Letras e Artes, FAFICLA, Departamento de Ciências da Linguagem. Atua na área da Linguagem na FAFICLA e da Gerontologia Social, e na divulgação científica como Editora da Revista Kairós-Gerontologia. Faz parte da Rede Iberoamericana de Psicogerontologia (REDIP).

DOI:

https://doi.org/10.23925/2176-901X.2020v23i0p309-332

Palavras-chave:

Pandemia, COVID 19, Distanciamento Físico, Idosos.

Resumo

Este artigo apresenta resultados de estudo transversal, quantitativo, realizado com amostra pela técnica de snowball sampling, no Brasil, parte de pesquisa internacional feita em parceria com a Red Interdisciplinária de Psicogerontología em mais sete países latino-americanos, no período de maio a junho de 2020.  Traz o perfil deste grupo de pessoas idosas, de estrato social elevado e suas respostas sobre como se mantêm em distanciamento. Apesar de o grupo não representar a maioria das pessoas idosas brasileiras, acredita-se ser importante conhecer recortes das inúmeras velhices existentes em suas diversas inserções sociais.

 

Biografia do Autor

Ruth Gelehrter da Costa Lopes, Graduada em Psicologia, PUC-SP. Mestrado em Psicologia Social, PUC-SP. Doutora em Saúde Pública, USP. Professora no Curso de Psicologia da Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde (FACHS), da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Supervisora na Clínica Psicológica “Ana Maria Popovic”. Líder do Núcleo de Estudo e Pesquisa do Envelhecimento, PUC-SP.

Graduada em Psicologia, PUC-SP. Mestrado em Psicologia Social, PUC-SP. Doutora em Saúde Pública, USP. Professora no Curso de Psicologia da Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde (FACHS), da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Supervisora na Clínica Psicológica “Ana Maria Popovic”. Líder do Núcleo de Estudo e Pesquisa do Envelhecimento, PUC-SP.

 

Beltrina Côrte, Graduada em Jornalismo, Especialização e Mestrado em Planejamento e Administração do Desenvolvimento Regional, Doutorado e Pós-Doc em Ciências da Comunicação, USP. Docente da Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Pesquisadora do Núcleo de Estudo e Pesquisa do Envelhecimento. Coordenadora do Grupo de Pesquisa Longevidade, Envelhecimento e Comunicação. Atua na área da Gerontologia, com concentração em Gerontologia Social, e na divulgação científica com o Web site Portal do Envelhecimento, Revista Portal de Divulgação, editora Portal Edições e Espaço Longeviver. Integra desde 2005, a Rede Iberoamericana de Psicogerontologia (REDIP).

Graduada em Jornalismo, Especialização e Mestrado em Planejamento e Administração do Desenvolvimento Regional, Doutorado e Pós-Doc em Ciências da Comunicação, USP. Docente da Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Pesquisadora do Núcleo de Estudo e Pesquisa do Envelhecimento. Coordenadora do Grupo de Pesquisa Longevidade, Envelhecimento e Comunicação. Atua na área da Gerontologia, com concentração em Gerontologia Social, e na divulgação científica com o Web site Portal do Envelhecimento, Revista Portal de Divulgação, editora Portal Edições e Espaço Longeviver. Integra desde 2005, a Rede Iberoamericana de Psicogerontologia (REDIP).

 

Flavio Morgado, Bacharel em Matemática, Fundação Santo André. Mestre em Administração (2002) e Doutor em Comunicação e Semiótica (2008), PUC-SP. É professor e pesquisador da PUC-SP (Ética para Computação, Empreendedorismo, Ciência de Dados, na graduação, e Gestão em Saúde no Mestrado em Educação nas Profissões da Saúde da PUC-SP). Pesquisador do NEPE/PUC-SP. Experiência profissional em Melhoria de Processos e Desenvolvimento de Sistemas.

Bacharel em Matemática, Fundação Santo André. Mestre em Administração (2002) e Doutor em Comunicação e Semiótica (2008), PUC-SP. É professor e pesquisador da PUC-SP (Ética para Computação, Empreendedorismo, Ciência de Dados, na graduação, e Gestão em Saúde no Mestrado em Educação nas Profissões da Saúde da PUC-SP). Pesquisador do NEPE/PUC-SP. Experiência profissional em Melhoria de Processos e Desenvolvimento de Sistemas.

E-mail: fmorgado.sp@gmail.com 

Maria Elisa Gonzalez Manso, Maria Elisa Gonzalez Manso – Pós-Doutora em Gerontologia Social, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, PUC-SP. Doutora em Ciências Sociais, PUC-SP. Mestra em Gerontologia Social, PUC-SP. Doutoranda em Investigación Gerontológica, UMAI BsAs, Argentina. Graduada em Medicina. Bacharel em Direito. Pós-Graduação em Psicogerontologia. Docência na Saúde, Administração em Serviços de Saúde e Administração de Empresas. Atualmente é Professora Titular do Curso de Medicina do Centro Universitário São Camilo, desempenhando funções no Núcleo Docente Estruturante do mesmo curso. Professora convidada da Cogeae/PUC-SP e do Espaço Longeviver, para cursos na área do envelhecimento. Pesquisadora do grupo de pesquisa CNPq-PUC, Núcleo de Estudo e Pesquisa do Envelhecimento. Membro da Red Interdisciplinaria de Psicogerontología (REDIP). E-mail:

Pós-Doutora em Gerontologia Social, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, PUC-SP. Doutora em Ciências Sociais, PUC-SP. Mestra em Gerontologia Social, PUC-SP. Doutoranda em Investigación Gerontológica, UMAI BsAs, Argentina. Graduada em Medicina. Bacharel em Direito. Pós-Graduação em Psicogerontologia. Docência na Saúde, Administração em Serviços de Saúde e Administração de Empresas. Atualmente é Professora Titular do Curso de Medicina do Centro Universitário São Camilo, desempenhando funções no Núcleo Docente Estruturante do mesmo curso. Professora convidada da Cogeae/PUC-SP e do Espaço Longeviver, para cursos na área do envelhecimento. Pesquisadora do grupo de pesquisa CNPq-PUC, Núcleo de Estudo e Pesquisa do Envelhecimento. Membro da Red Interdisciplinaria de Psicogerontología (REDIP). 

 

Vera Brandão, Pedagoga, USP. Mestrado e Doutorado em Ciências Sociais, Antropologia, PUC-SP. Pós-Doutorado em com concentração em Gerontologia Social, PUC-SP. Pesquisadora do Núcleo de Estudo e Pesquisa do Envelhecimento, PUC-SP. Editora da Revista Longeviver [on-line].

Pedagoga, USP. Mestrado e Doutorado em Ciências Sociais, Antropologia, PUC-SP. Pós-Doutorado em com concentração em Gerontologia Social, PUC-SP. Pesquisadora do Núcleo de Estudo e Pesquisa do Envelhecimento, PUC-SP. Editora da Revista Longeviver [on-line].

Flamínia Manzano Moreira Lodovici, Linguista. Mestrado (LAEL/PUC-SP) e Doutorado (IEL/Unicamp). Filiada à Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde, FACHS, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e à Faculdade de Filosofia, Comunicação, Letras e Artes, FAFICLA, Departamento de Ciências da Linguagem. Atua na área da Linguagem na FAFICLA e da Gerontologia Social, e na divulgação científica como Editora da Revista Kairós-Gerontologia. Faz parte da Rede Iberoamericana de Psicogerontologia (REDIP).

Linguista.  Mestrado (LAEL/PUC-SP) e Doutorado (IEL/Unicamp). Filiada à Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde, FACHS, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e à Faculdade de Filosofia, Comunicação, Letras e Artes, FAFICLA, Departamento de Ciências da Linguagem. Atua na área da Linguagem na FAFICLA e da Gerontologia Social, e na divulgação científica como Editora da Revista Kairós-Gerontologia. Faz parte da Rede Iberoamericana de Psicogerontologia (REDIP).

 

 

Downloads

Publicado

2020-09-10