Percepções de profissionais de saúde sobre a implementação de políticas públicas direcionadas ao envelhecimento em Canoas/RS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.23925/2176-901X.2022v25i1p187-208

Palavras-chave:

Política pública, Envelhecimento, Pessoal de Saúde

Resumo

Este estudo teve por objetivo conhecer as percepções de gestores municipais sobre a implementação de políticas públicas direcionadas ao envelhecimento no município de Canoas/RS. Foram realizadas cinco entrevistas com gestores municipais, submetidas à Análise de Conteúdo, alcançando as categorias: O envelhecimento pelo olhar dos gestores, Políticas públicas municipais e Estratégias de trabalho dos gestores. Políticas públicas são implementadas, havendo empenho dos gestores para a consolidação da rede de atenção.

Biografia do Autor

Luiz Gustavo Fernandes da Rosa, Universidade Luterana do Brasil

Enfermeiro. Especialista em Saúde Comunitária. Mestrando em Promoção da Saúde, Desenvolvimento Humano e Sociedade. Universidade Luterana do Brasil/RS. 

Nádia Teresinha Schröder, Universidade Luterana do Brasil

Graduação em Ciências, habilitação em Biologia. Mestre em Geociências. Doutora em Ecologia e Evolução da Biodiversidade. Professora no Programa de Promoção da Saúde, Desenvolvimento Humano e Sociedade. Universidade Luterana do Brasil/RS. 

Ana Maria Pujol Vieira dos Santos, Universidade Luterana do Brasil

 Graduação em Ciências Biológicas. Mestre em Microbiologia Agrícola e do Ambiente. Doutora em Fitotecnia. Professora no  Programa de Pós-Graduação em Promoção da Saúde, Desenvolvimento Humano e Sociedade. Universidade Luterana do Brasil/RS. 

Referências

Bastos, M. A. M. S. C., Monteiro, J. M. M. P., Faria, C. M. G. M., Pimentel, M. H., Silva, S. L. R., & Afonso, C. M. F. (2020). Participação em programas de intervenção comunitária e qualidade de vida: resultados de um estudo multicêntrico em Portugal. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 23(6), 1-14. Recuperado em 02 novembro, 2020, de: https://www.scielo.br/pdf/rbgg/v23n6/pt_1809-9823-rbgg-23-06-e190017.pdf.

Berlezi, E. M., Farias, A. M., Dallazen, F., Oliveira, K. R., Pillatt, A. P., & Fortes, C. K. (2016). Como está a capacidade funcional de idosos residentes em comunidades com taxa de envelhecimento populacional acelerado? Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 19(4), 643-652. Recuperado em 10 julho, 2020, de: https://doi.org/10.1590/1809-98232016019.150156.

Cabral, J. F., Silva, A. M. C., Mattos, I. E., Neves, Á. Q., Luz, L. L., Ferreira, D. B., Santiago, L. M., & Carmo, C. N. (2019). Vulnerabilidade e fatores associados em idosos atendidos pela Estratégia Saúde da Família. Ciência & Saúde Coletiva, 24(9), 3227-3236. Recuperado em 04 novembro, 2020, de: https://doi.org/10.1590/1413-81232018249.22962017.

Camargos, M. C. S., Gonzaga, M. R., Costa, J. V., & Bomfim, W. C. (2019). Estimativas de expectativa de vida livre de incapacidade funcional para Brasil e Grandes Regiões, 1998 e 2013. Ciência & Saúde Coletiva, 24(3), 737-747. Recuperado em 06 junho, 2020, de: https://doi.org/10.1590/1413-81232018243.07612017.

Campos, A. C. V., Ferreira, E. F., & Vargas, A. M. D. (2015). Determinantes do envelhecimento ativo segundo a qualidade de vida e gênero. Ciência & Saúde Coletiva, 20(7), 2221-2237. Recuperado em 06 junho, 2020, de: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141381232015000702221&lng=pt&tlng=pt.

Carmo, R. L., & Camargo, K. C. M. (2018). Dinâmica demográfica brasileira recente: padrões regionais de diferenciação. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Recuperado em 07 julho, 2019, de: https://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/TDs/td_2415.

Coelho, L. P., Motta, L. B., & Caldas, C. P. (2018). Rede de atenção ao idoso: fatores facilitadores e barreiras para implementação. Physis Revista de Saúde Coletiva, 28(4), 1-19. Recuperado em 01 novembro, 2020, de: https://www.scielo.br/pdf/physis/v28n4/0103-7331-physis-28-04-e280404.pdf.

Damaceno, M. J. C. F., & Chirelli, M. Q. (2019). Implementação da Saúde do Idoso na Estratégia Saúde da Família: visão dos profissionais e gestores. Ciência & Saúde Coletiva, 24(5), 1637-1646. Recuperado em 28 outubro, 2020, de: https://doi.org/10.1590/1413-81232018245.04342019.

Escorsim, S. M. (2021). O envelhecimento no Brasil: aspectos sociais, políticos e demográficos em análise. Serviço Social & Sociedade, 142(1), 427-446. Recuperado em 28 janeiro, 2022, de: http://dx.doi.org/10.1590/0101-6628.258.

Faleiros, V. P. (2014). Envelhecimento no Brasil do Século XXI: transições e desafios. Argumentum, 6(1), 6-21. Recuperado em 24 outubro, 2020, de: https://doi.org/10.18315/argumentum.v6i1.7952.

Fundação Oswaldo Cruz. (2014). Saúde da Pessoa Idosa: Boas Práticas - Construção de fluxos de atendimento ao idoso. Recuperado em 15 março, 2021, de: https://saudedapessoaidosa.fiocruz.br/constru.

Fundação Oswaldo Cruz. (2014). Saúde da Pessoa Idosa: Boas Práticas – Qualificando o trabalho em rede. Recuperado em 15 março, 2021, de: https://saudedapessoaidosa.fiocruz.br/qualificando-o-trabalho-em-rede.

Fundação Oswaldo Cruz. (2018). Saúde da Pessoa Idosa: Boas Práticas – Microgestão da saúde do idoso: rede de profissionais de referência na atenção básica. Recuperado em 15 março, 2021, de: https://saudedapessoaidosa.fiocruz.br/microgest%C3%A3o-da-sa%C3%BAde-do-idoso-rede-de-profissionais-de-refer.

Fundação Oswaldo Cruz. (2020). Boas práticas na gestão de saúde da pessoa idosa: políticas públicas e promoção da saúde na prática do SUS. FIOCRUZ. Recuperado em 07 julho, 2020, de: https://www.icict.fiocruz.br/sites/www.icict.fiocruz.br/files/livro_digital_-_boas_praticas_na_gestao_de_saude_da_pessoa_idosa.pdf.

Guedes, M. B. O. G., Lima, K. C., Caldas, C. P., & Veras, R. P. (2017). Apoio social e o cuidado integral à saúde do idoso. Physis: Revista de Saúde Coletiva, 27(4), 1185-1204. Recuperado em 24 outubro, 2020, de: https://doi.org/10.1590/s0103-73312017000400017.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2022). IBGE Cidades. Canoas, Rio Grande Do Sul. Recuperado em 10 fevereiro, 2022, de: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/rs/canoas/panorama.

Jacob, M. E., Yee, L. M., Diehr, P. H., Arnold, A. M., Thielke, S. M., Chaves, P. H. M., Gobbo, D., Hirsch, C., Siscovick, D., & Newman, A. B. (2016). Can a Healthy Lifestyle Compress the Disabled Period in Older Adults? Journal of the American Geriatrics Society, 64, 1952-1961. Recuperado em 10 julho, 2019, de: https://doi.org/10.1111/jgs.14314.

Lei n.o 5.328, de 30 de julho de 2008. Cria o Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa - COMDI/Canoas e dá outras providências. Recuperado em 02 novembro, 2020, de: https://leismunicipais.com.br/a/rs/c/canoas/lei-ordinaria/2008/533/5328.

Lei n.o 6.110, de 31 de agosto de 2017. Institui o Programa Gerações. Recuperado em 15 dezembro, 2020, de: https://leismunicipais.com.br/a1/rs/c/canoas/lei-ordinaria/2017/611/6110/lei-ordinaria-n-6110-2017.

Lei n.o 10.741, de 1o de outubro de 2003. Dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá outras providências. Recuperado em 02 novembro, 2020, de: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.741.htm.

Maia, F. O. M., Duarte, Y. A. O., Secoli, S. R., Santos, J. L. F., & Lebrão, M. L. (2012). Adaptação transcultural do Vulnerable Elders Survey -13 (VES-13): contribuindo para a identificação de idosos vulneráveis. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 13(46), 116-122. Recuperado em 10 dezembro, 2020, de: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v46nspe/17.pdf.

Manna, R. E., Leite, J. C. A., & Aiello-Vaisberg, T. M. J. (2018). Imaginário coletivo de idosos participantes da rede de proteção e defesa da pessoa idosa. Saúde e Sociedade, 27(4), 987-996. Recuperado em 18 maio, 2020, de: https://doi.org/10.1590/s0104-12902018180888.

Mazuchelli, L. P., Soares, M. F. P., Noronha, D. O., & Oliveira, M. V. B. (2021). Discursos sobre os idosos, desigualdade social e os efeitos das medidas de distanciamento social em tempos de Covid-19. Saúde & Sociedade, 30(3), 1-12. Recuperado em 28 janeiro, 2022, de: https://doi.org/10.1590/S0104-12902021200885.

Mendonça, J. M. B., Abigalil, A. P. C., Pereira, P. A. P., Yuste, A., & Ribeiro, J. H. S. (2021). O sentido do envelhecer para o idoso dependente. Ciência & Saúde Coletiva, 26(1), 57-65. Recuperado em 01 fevereiro, 2022, de: https://doi.org/10.1590/1413-81232020261.32382020.

Minayo, M. C. S. (2014). O desafio do conhecimento - Pesquisa qualitativa em saúde. Hucitec Editora.

Ministério da Saúde. (2018). Orientações Técnicas para a Implementação de Linha de Cuidado para Atenção Integral à Saúde da Pessoa Idosa. Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas. Recuperado em 07 julho, 2020, de: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/linha_cuidado_atencao_pessoa_idosa.

Nossa, P. N. (2020). Envelhecimento, financiamento e inovação nos sistemas de saúde: uma discussão necessária para a manutenção do direito à saúde. Saúde e Sociedade, 29(2), 1-14. Recuperado em 01 novembro, 2020, de: https://doi.org/10.1590/S0104-12902020200081.

Oliveira, M. R., Veras, R. P., & Cordeiro, H. A. (2018). A importância da porta de entrada no sistema: o modelo integral de cuidado para o idoso. Physis: Revista de Saúde Coletiva, 28(4). Recuperado em 14 maio, 2020, de: https://doi.org/10.1590/s0103-73312018280411.

Organização Mundial da Saúde. (2005). Envelhecimento ativo: uma política de saúde. Organização Pan-Americana da Saúde.

Organización Mundial de la Salud (2015). Informe Mundial sobre el Envejecimiento y la Salud. Recuperado em 01 novembro, 2020, de: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/186466/9789240694873_spa.pdf.

Pereira, K. C. R., Lacerda, J. T., & Natal, S. (2017). Avaliação da gestão municipal para as ações da atenção à saúde do idoso. Cadernos de Saúde Pública, 33(4), 3-16. Recuperado em 25 outubro, 2020, de: https://doi.org/10.1590/0102-311X00208815.

Portaria de Consolidação no 2, de 28 de setembro de 2017. Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa. Recuperado em 28 outubro, 2020, de: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/prc0002_03_10_2017.html.

Prefeitura Municipal de Canoas. (2017). Canoas é referência nacional no atendimento ao idoso. Recuperado em 25 outubro, 2020, de: http://oldsite.canoas.rs.gov.br/site/noticia/visualizar/idDep/17/id/125690.

Reis, C. L., Koetz, L. C. E., & Périco, E. (2016). Política Nacional do Idoso: percepção dos gestores e perfil dos idosos de um município de pequeno porte. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, 29(4), 496-505. Recuperado em 01 novembro, 2020, de: https://doi.org/10.5020/18061230.2016.p496.

Sacco, R. C. C. S., Cardoso, P. R. R., Escalda, P. M. F., Assis, M. G., & Guimarães, S. M. F. (2019). Avaliação da microgestão em Unidades Básicas de Saúde em ações para idosos em uma região de saúde do Distrito Federal, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 24(6), 2173-2183. Recuperado em 04 novembro, 2020, de: https://doi.org/10.1590/1413-81232018246.08332019.

Souza, C. (2007). Estado da arte da pesquisa em políticas públicas. In: G. Hochman, M. Arretche, & E. Marques (Eds.). Políticas públicas no Brasil (pp. 52-68). FIOCRUZ.

Souza, M. S., & Machado, C. V. (2018). Governança, intersetorialidade e participação social na política pública: o Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa. Ciência & Saúde Coletiva, 23(10), 3189-3200. Recuperado em 06 junho, 2019, de: https://doi.org/10.1590/1413-812320182310.14112018.

Sowa, A., Tobiasz-Adamczyk, B., Topór-Madry, R., Poscia, A., & Milia, D. I. (2016). Predictors of healthy ageing: public health policy targets. BMC Health Services Research, 16(5), 441-453. Recuperado em 10 julho, 2019, de: https://doi.org/10.1186/s12913-016-1520-5.

Steptoe, A., & Fancourt, D. (2019). Leading a meaningful life at older ages and its relationship with social engagement, prosperity, health, biology, and time use. National Academy of Sciences of the United States of America, 116(4), 1207-1212. Recuperado em 02 novembro, 2020, de: https://doi.org/10.1073/pnas.1814723116.

Teixeira, S. M. (2020). Envelhecimento, família e políticas públicas: em cena a organização social do cuidado. Serviço Social & Sociedade, (s/v(137), 135-154. Recuperado em 24 outubro, 2020, de: https://www.scielo.br/pdf/sssoc/n137/0101-6628-sssoc-137-0135.pdf.

Wong, L. L. R., & Carvalho, J. A. (2006). O rápido processo de envelhecimento populacional do Brasil: sérios desafios para as políticas públicas. Revista Brasileira de Estudos de População, 23(1), 5-26. Recuperado em 02 novembro, 2020, de: https://www.scielo.br/pdf/rbepop/v23n1/v23n1a02.pdf.

Zen, D., Leite, M. T., Hildebrandt, L. M., Silva, L. A. A., & Sandb, I. C. P. V. (2018). Políticas de atenção a idosos na voz de gestores municipais de saúde. Revista Gaúcha de Enfermagem, 39(62502), 1-9. Recuperado em 07 julho, 2019, de: https://www.scielo.br/pdf/rgenf/v39/1983-1447-rgenf-39-e62502.pdf.

Downloads

Publicado

2022-06-30

Edição

Seção

Artigos