As almas mortas do latifúndio: terras férteis para Gógol e Saramago.

Paula Fábrio

Resumo


Este artigo trabalha com a comparação da questão do latifúndio nas literaturas do escritor português José Saramago e do russo Nikolai Gógol. Serão cotejadas as obras Almas mortas e Levantado do chão. A distância geográfica e temporal das narrativas é relevante ponto de partida para avaliar as similaridades que os textos trazem à tona, porque evolui para a compreensão de como a exploração do trabalho, a corrupção e outras mazelas da condição humana permanecem não apenas no ideário desses escritores como nas sociedades ao longo dos tempos. Matéria-prima para a ironia que transborda nos dois textos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.