Luto e melancolização na pandemia do COVID 19

Autores

  • Nelma Cabral UNESA (Universidade Estácio de Sá), campus João Uchôa / Docente https://orcid.org/0000-0002-3352-0112
  • Adriana Novais Matos UNESA (Universidade Estácio de Sá), discente
  • Bárbara Catelli UNESA (Universidade Estácio de Sá), campus João Uchôa
  • Glaucia Viana UNESA (Universidade Estácio de Sá), campus João Uchôa, discente
  • Luiza Scarpa UNESA (Universidade Estácio de Sá) campus João Uchôa

Palavras-chave:

Coronavírus, Luto, Melancolia.

Resumo

RESUMO

A partir das perdas experienciadas por meio da pandemia do coronavírus - Covid-19, o artigo busca refletir sobre a dimensão traumática que a sociedade atravessa. Ela se caracteriza pela impossibilidade de realizar os ritos de sepultamento necessários para o trabalho de luto, e ainda encara a banalização e indiferença dos governantes na forma de tratar as perdas. Identifica, a partir dos registros de Freud sobre a transitoriedade e luto e melancolia, a importância da criação subjetiva e coletiva para dar contorno ao não representável característico na finitude. Explora através da psicanálise o desencadeamento do estado melancólico diante do impossível a ser representado, que resulta na experiência de desalento.

 

Biografia do Autor

Nelma Cabral, UNESA (Universidade Estácio de Sá), campus João Uchôa / Docente

Professora Titular da UNESA (Universidade Estácio de Sá), atuando no Curso de Graduação em Psicologia, campus João Uchoa. Psicanalista, membro do EBEP-Rio (Espaço Brasileiro de Estudos Psicanalíticos)

Adriana Novais Matos, UNESA (Universidade Estácio de Sá), discente

Graduanda do curso de Psicologia da Universidade Estácio de Sá, campus João Uchôa.

Bárbara Catelli, UNESA (Universidade Estácio de Sá), campus João Uchôa

Psicóloga, graduada em Psicologia pela Universidade Estácio de Sá, campus João Uchôa

Glaucia Viana, UNESA (Universidade Estácio de Sá), campus João Uchôa, discente

Graduanda do curso de Psicologia da Universidade Estácio de Sá, campus João Uchôa, Mestre em Serviço Social pela PUC/RJ, Especialista em Violência Doméstica pela USP e Assistente Social pela UFRJ

Luiza Scarpa, UNESA (Universidade Estácio de Sá) campus João Uchôa

Graduanda do curso de Psicologia da Universidade Estácio de Sá, campus João Uchôa, graduada em Artes Cênicas pela Casa das Artes Laranjeiras, Artista Plástica

Referências

REFERÊNCIAS

AYRES, Suely. Luto e subjetivações: clínica, política e ética. Congresso Virtual UFBA. 2020. Disponível em:

https://www.facebook.com/congressoufba/videos/590948641559299

BIRMAN, Joel. O sujeito na contemporaneidade: espaço, dor e desalento na atualidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012.

BIRMAN, Joel. Impactos da Pandemia na Saúde Mental. Webinários ABC. 2020 - Disponível em:

http://www.abc.org.br/2020/06/15/o-impacto-da-pandemia-na-saudemental/

BIRMAN, Joel. Errância, invenção e melancolia: sobre as perdas e seus destinos na cultura judaica em Arquivos do mal estar na psicanálise, Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006, pág. 391/409.

DUNKER, Christian. Como acontece o luto? Canal Youtube: Falando Nisso 210. 23 de nov. de 2018. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=0Kz7jsXo6B4

FREUD, Sigmund. Sobre a Transitoriedade. Edição Standard Brasileiras das Obras Completas de Sigmund Freud, vol. XIV. Rio de Janeiro: Imago, 1915b/1974.

_________ - Luto e Melancolia. Edição Standard Brasileiras das Obras Completas de Sigmund Freud, vol. XIV. Rio de Janeiro: Imago, 1917 [1915]/1974.

_________ (1933 [1932]) Por que a guerra? Edição Standard Brasileira das Obras Completas de Sigmund Freud, vol. XXII. Rio de Janeiro: Imago, 1996.

_________ – O eu e o id (1923) São Paulo: Cia das Letras, 2011, pág. 13/74.

KEHL, Maria Rita. – Ceder de seu desejo: o vazio depressivo in O tempo e o cão. São Paulo, Boitempo, 2009, pág.193/226.

LEITE, Sonia et al. Distinção teórico-clínica entre depressão, luto e melancolia, Psic. Clin., vol.22, n.2, Rio de Janeiro, 2010, pág.147/168.

OLIVEIRA, Cristiane. Luto, subjetivações e biopolítica contemporânea. In: Cristiane Oliveira; Rita Müller. (Orgs.). Subjetivações e gestão dos riscos na atualidade. 1a. ed. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2017, p. 99/119.

MBEMBE, Achille – Necropolítica: biopoder, soberania, estado de exceção e política de morte. São Paulo: n-1edições, 2018

PESSOA, Fernando. (1888-1935) - Poemas de Álvaro de Campos/Fernando Pessoa; edição, apresentação, introdução e notas Cleonice Berardinelli. - [Ed.especial].- Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2012, pág. 210/211.

Downloads

Publicado

2021-07-15