O CORPO COMO SINTOMA DA CULTURA: O INSTAGRAM DE CLARA AVERBUCK

Autores

  • Roseli Gimenes UNIP Universidade Paulista PUC Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Programa de pós graduação em Tecnologias da inteligência e design digital(TIDD) e Comunicação e semiótica (COS) COS http://orcid.org/0000-0002-9302-8023
  • Jorgina Francisca Severino dos Santos PUC SP

Palavras-chave:

Clara Averbuck, Redes Sociais, Instagram, Corpo.

Resumo

O presente artigo tem como objetivo demonstrar que as postagens em redes digitais contribuem para ampliar a discussão sobre a ideal do corpo feminino. As postagens escolhidas foram sobre pole dance da escritora Clara Averbuck no instagram, uma rede imagética em que se pode observar a intensa exposição de corpos ideais a serem seguidos. Para esse fim escolheu-se o estudo de caso, metodologia qualitativa que permite a partir de um caso demonstrar os elementos singulares que contribuem para a compreensão/explicação de um fenômeno, nesse caso, o ideal de um corpo feminino a ser seguido. A hipótese que se levanta é a de que a exposição do corpo feminino fora dos padrões, cânone do desejo masculino (casas de shows masculinas), permite à mulher (neste estudo, Clara) apropriar-se do seu corpo e de seu desejo. Para comprová-la apresenta-se uma breve revisão teórica de Castells (2003, 2013) em função do uso de redes sociais para expressão para além do literário; de Lacan (1974-75) com a questão dos registros de real, simbólico e imaginário e sobre o desejo; Santaella e Lemos (2010) sobre redes sociais; e da fusão – híbrida - na concepção semiótica do corpo de acordo com as posições de Lucia Santaella (2004).

 

Biografia do Autor

Roseli Gimenes, UNIP Universidade Paulista PUC Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Programa de pós graduação em Tecnologias da inteligência e design digital(TIDD) e Comunicação e semiótica (COS) COS

Coordenadora do curso de Letras da Universidade Paulista- UNIP

Professora de Literatura Brasileira

Professora convidada na Educação Continuada PUC em Semiótica Psicanalítica

Mestre em Comunicação e Semiótica-Pontifícia Universidade Católica de São Paulo- PUC SP

Doutora em Tecnologias da Inteligência e Design Digital-Pontifícia Universidade Católica de São Paulo-Puc SP

Pós -doutora em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paul-PUCSP

 

Autora de 'A menina de Lacan: um conto Rosa' e de 'O cinema de Almodóvar sob um olhar lacaniamente perverso'.

,Literatura brasileira ao átomo ao bit. Pós doutoramento no COS Puc: Inteligência Libidinal.

Jorgina Francisca Severino dos Santos, PUC SP

Graduada em Ciências Sociais PUC SP

Mestre em Comunicação e Semiótica PUC SP

Especialista em Psicologia Transpessoal UNILUZ

Referências

AVERBUCK, Clarah. Eu quero ser eu. São Paulo: 7letras, 2013.

AVERBUCK, Clarah. Feminismos para Leigos. Disponível em: https://vermelho.org.br/2015/03/03/clara-averbuck-feminismo-para-leigos/. Acesso em: 16 out. 2020.

AVERBUCK, Clara. Perfil no instagram. caverbuck. 2019-2020.

BARTHES, Roland. O grau zero da escrita. Lisboa: Edições 70, 1964.

BARTHES, Roland. O prazer do texto. São Paulo: Perspectiva, 1987.

BARTHES, Roland. Sade Fourier Loyola. São Paulo: Brasiliense, 1990.

BEIGUELMAN, Giselle. O livro depois do livro. São Paulo: Peirópolis, 2003.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 2013.

CASTELLS, Manuel. A galáxia da internet. Reflexões sobre a internet, os negócios e a sociedade. São Paulo: Zahar, 2003.

GIMENES, Roseli. Literatura brasileira do átomo ao bit. São Paulo: Scortecci, 2017.

LACAN, J. Le seminaire, livre XXII: RSI (1974-1975). (Seminário inédito, transcrição em francês disponível na internet na página do psicanalista Patrick Valas: Disponível em: http://www.valas.fr/Jacques-Lacan-RSI-1974-1975,288. Acesso em: 16 out. 2020.

LAJOLO, Marisa. Como e por que ler o romance brasileiro. Rio de Janeiro: Objetiva, 2004.

PUJÓ, Mario. “O desejo é o desejo do outro”. In: CESAROTTO, Oscar (Org). Ideias de Lacan. São Paulo: Iluminuras. 1995, pp 23- 28.

RUFFATO, Luiz (org.). 25 mulheres que estão fazendo a nova literatura brasileira. Rio de Janeiro: Record, 2004.

SANTANA, Jair. Nome Próprio - Murilo Salles, 2008. Disponível em: http://sobretudofilmes.wordpress.com/2008/08/22/nome-proprio-murilo-salles-2008/. Acesso em 20 out. 2020.

SANTAELLA, Lucia. O que é semiótica. São Paulo: Brasiliense, 1985.

SANTAELLA, Lucia. Corpo e comunicação. Sintoma da cultura. São Paulo: Paulus, 2004.

SANTAELLA, Lucia; LEMOS, Renata. Redes sociais digitais. A cognição conectiva do twitter. São Paulo: Paulus, 2010.

Downloads

Publicado

2021-07-15