Territorialismo e a política de desenvolvimento: estratégias de produção do território no Brasil

Autores

  • Weslley Cantelmo Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional, Política Urbana e Gestão Metropolitana, do Estado de Minas Gerais
  • Carlos Lobo Universidade Federal de Minas Gerais, Instituto de Geociências, Departamento de Geografia. Belo Horizonte/MG, Brasil.
  • Ricardo Alexandrino Garcia Universidade Federal de Minas Gerais, Instituto de Geociências, Departamento de Geografia. Belo Horizonte/MG, Brasil.

Palavras-chave:

território, territorialismo, estratégia, política, desenvolvimento

Resumo

O processo histórico-geográfico de formação da sociedade brasileira foi regido por promessas de modernidade, em que a noção de desenvolvimento, desdobrada da noção de progresso, foi o combustível social de sustentação do movimento de inserção das relações capitalistas no Brasil durante o século XX. A ideia prevalecente na ação governamental tem sido a superação da desigualdade regional por meio da inserção das regiões brasileiras no circuito competitivo capitalista. A proposta deste artigo é refletir sobre evidências de que esse discurso tem se sustentado como uma estratégia de produção de território, própria de agentes hegemônicos no circuito capitalista de reprodução. Para a compreensão desse processo, propõe-se o resgate de uma noção geográfica que tem sido posta à margem: o territorialismo.

Biografia do Autor

Weslley Cantelmo, Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional, Política Urbana e Gestão Metropolitana, do Estado de Minas Gerais

Mestre em Geografia - Organização do espaço - pelo Instituto de Geociências (IGC-UFMG) (2014). Possui graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Minas Gerais (2010). Atualmente é Superintendente de Planejamento e Apoio ao Desenvolvimento Regional da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional, Política Urbana e Gestão Metropolitana - MG. Desenvolveu trabalhos em planejamento regional, dentre os quais se destacam: "Plano de Desenvolvimento Regional e Sustentável dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri" (2014); Plano Regional Estratégico em torno de grandes empreendimentos minerários no Norte de Minas (2014); e o Plano Regional Estratégico em torno de grandes empreendimentos minerários no Médio Espinhaço (2014). Tem estudado a dinâmica de produção territorial, histórica e contemporânea, sob a perspectiva da geografia crítica, bem como aprofundado na crítica ao desenvolvimento.

Downloads

Publicado

2015-11-22