Arte da Performance: educação e experimentação do cotidiano

Juliana Soares Bom-Tempo

Resumo


Este trabalho se propõe a pensar a arte da performance na interface com a educação como analisador das práticas cotidianas. Diante disso, a performance é aqui pensada como elemento agenciador de processos educativos que mobilizam e deslocam o cotidiano enquanto modos de vida preestabelecidos e sedimentados no dia a dia contemporâneo. A educação e a performance possuem aproximações ao se configurarem como práticas de experimentações vinculadas ao tempo presente, ao imprevisível, ao inesperado que produzem mobilizações de signos rígidos e definidos pela cultura. Tais formas de existir, pautados no ideal moderno de paz, calma e sucesso, produzem adoecimentos e fracasso, banindo os embates de forças vinculados a própria vida. Frente a essas configurações do mundo contemporâneo, os processos de subjetivações trazem a urgência de desvios que produzam novas possibilidades de se viver, promovendo uma grande saúde, vinculada á vulnerabilidade que se abre ao novo e à invenção.

PALAVRAS-CHAVE: Performance; Educação; Invenção; Experimentação

 


Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Preservado em:   

Indexado em: