As máscaras da Coragem e o jogo plural entre revelação e ocultação

Bruno Piva

Resumo


O presente artigo visa tratar sobre os recursos e elementos utilizados no teatro de Bertolt Brecht, realizando uma análise sobre sua peça Mãe Coragem e seus Filhos – uma crônica da guerra dos trinta anos, e verificando como o autor lida com a questão das máscaras e a pluralidade do sujeito, perpassando pelo jogo dialético que nela estabelece, que se contrapõe ao de George Hegel, e aliando a essa discussão os pensamentos de Soren Kierkegaard, Friederich Nietzsche e Fernando Pessoa. Estruturalmente, esta pesquisa está composta por esta introdução, denominada “Ponto de Partida: Existe algum? Para onde ir?, mais quatro capítulos e uma conclusão nomeada “Ponto de chegada: Existe algum? Onde chegamos todos?. Os quatro capítulos tratam, respectivamente, sobre o teatro de Brecht, seguido pela análise de “Mãe Coragem”; após, uma abordagem sobre o chamado jogo dialético em Brecht e, por fim, um diálogo entre Brecht, Kierkegaard, Nietzsche e Pessoa, encerrando com algumas considerações.


Palavras-chave


Brecht; Mãe Coragem; Máscaras Jogo dialético, Épico

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Preservado em:   

Indexado em: